Suspeito em caso Maddie constituído arguido para evitar prescrição

Kate e Gerry McCann posavam em 2012 com um cartaz com uma imagem gerada por computador em que é recriada com mais idade a sua filha Madeleine
Kate e Gerry McCann posavam em 2012 com um cartaz com uma imagem gerada por computador em que é recriada com mais idade a sua filha Madeleine Direitos de autor Sang Tan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Sang Tan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Madeleine Mccann desapareceu há 15 anos. O caso prescrevia esta quarta-feira.

PUBLICIDADE

A 3 de maio de 2007 um dos maiores mistérios saltava para as manchetes dos jornais portugueses e internacionais. Madeleine Mccann desaparecia no Algarve sem deixar rasto levando muitos a perguntar até hoje o que aconteceu naquela noite à menina britânica de três anos.

Em meados de 2020, a polícia alemã identificou um cidadão germânico como suspeito no caso.

Quinze anos depois do desaparecimento de Maddie, o Ministério Público português constituiu Christian Brückner arguido como principal suspeito pela morte da criança.

Um dia antes do aniversário do desaparecimento, o advogado Manuel de Magalhães e Silva explicou à Associated Press a estratégia da procuradoria.

"O prazo de prescrição é de 15 anos e se não tivesse havido esta constituição de arguido agora, amanhã cumprir-se-iam os 15 anos sobre os factos, 3 de maio de 2007, e portanto, na próxima quarta-feira, o processo criminal estaria extinto por prescrição".

De acordo com o advogado, "a constituição de arguido interrompe o prazo de prescrição. E quando há interrupção do prazo de prescrição é possível que ele vá, neste caso, 22 anos e meio, pode mesmo ir a 23, e eventualmente pode mesmo ir a 26 e meio".

Brückner cumpre atualmente pena numa prisão alemã por outros crimes. Mas o processo europeu de detenção permite ao alemão viajar para Portugal no âmbito da investigação portuguesa e permanecer sob custódia das autoridades alemãs

Recorde-se que o telemóvel do suspeito foi detetado a 3 de maio de 2007 na zona da Praia da Luz. Brückner alega ter um alibi para a noite em causa, mas ainda por confirmar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alemão suspeito da morte de Madeleine perdeu recurso

Buscas por Madeleine McCann encontram cave soterrada

Processo de António Costa desce do Supremo para o DCIAP