This content is not available in your region

Lukashenko diz que "Bielorrússia está a fazer tudo para acabar com a guerra"

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AP
euronews_icons_loading
Alexander Lukashenko
Alexander Lukashenko   -   Direitos de autor  Credit: AP Photo

O presidente da Bielorrússia não esperava que a “operação militar especial" na Ucrânia durasse tanto tempo e garantiu que “está a fazer tudo para travar a guerra” que começou há mais de dois meses. Numa entrevista à agência Associeted Press, Alexander Lukashenko disse que foi surpreendido com o desenrolar dos acontecimentos

“Para ser honesto, não pensei que esta operação se arrastasse por este caminho. Mas não estou suficientemente imerso no problema para dizer se vai de acordo com o plano, como dizem os russos, ou é aquilo que eu digo. Quero sublinhar, mais uma vez, que sinto que esta operação se arrastou".

O líder bielorrusso voltou a criticar o governo ucraniano, considerando que Kiev “não tem interesse nas negociações para a paz”. Em relação ao uso de armas nucleares por parte de Moscovo, Lukashenko diz que só a Rússia pode responder a essa pergunta.

"O uso de armas nucleares é inaceitável porque está perto de nós. Estamos aqui e não estamos atrás de um oceano, como os Estados Unidos. É inaceitável por causa disso, e também porque pode tirar a Terra da órbita, e fazê-la voar. Esta é a razão pela qual a utilização de armas nucleares é inaceitável. Se a Rússia é ou não capaz de as utilizar, é uma questão que se deve colocar à liderança russa".

A Bielorrússia anunciou esta quarta-feira o início de exercícios militares para "avaliar a preparação e a capacidade de resposta em situações de crise". Minsk garantiu que não se trata de uma ameaça para a a Europa nem para os países vizinhos.