EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ataque a Luhansk terá matado 60 pessoas

Ofensiva russa na Ucrânia
Ofensiva russa na Ucrânia Direitos de autor Planet Labs PBC/Planet Labs PBC
Direitos de autor Planet Labs PBC/Planet Labs PBC
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Batalhão Azov continua na fábrica Azovstal e diz que "vai lutar até ao fim"

PUBLICIDADE

O governador de Luhansk acredita que cerca de 60 pessoas terão morrido no ataque aéreo a uma escola nesta região do leste da Ucrânia. O local, que servia de abrigo para 90 ucranianos, foi atingido por um míssil russo. Nas redes sociais, Sergii Gaidai disse que “existe apenas uma hipótese muito pequena de alguém ter sobrevivido”.

As autoridades ucranianas dizem que o inimigo não pára as operações ofensivas no leste, com o objetivo de estabelecer um controlo total sobre o território das regiões de Donetsk, Luhansk e Kherson e de manter o corredor terrestre entre estes territórios e a Crimeia ocupada.

Depois da Ucrânia ter anunciado que destruiu um navio militar de desembarque russo, este domingo, foi a vez da Rússia dizer que destruiu um navio de guerra ucraniano perto de Odessa.

Em Mariupol, já foram retiradas todas as crianças, mulheres e idosos que viveram mais de dois meses nos túneis da fábrica Azovstal. Foram levados para um acampamento temporário na povoação de Bezimenne, perto da fronteira com a Rússia. Em breve, devem seguir para a cidade de Zaporizhia, no sul da Ucrânia. Na fábrica, continua um grupo de militares ucranianos. Membros do batalhão Azov garantiram este domingo que “vão continuar a lutar enquanto estiverem vivos, para afastar os ocupantes russos".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homenagem às mães ucranianas

Ucrânia diz que atingiu mais um navio de guerra russo

Ucranianos reconquistam aldeias na região de Kharkiv