EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ucrânia diz que atingiu mais um navio de guerra russo

Guerra na Ucrânia
Guerra na Ucrânia Direitos de autor Photo : Planet Labs PBC (via AP)
Direitos de autor Photo : Planet Labs PBC (via AP)
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nas redes sociais, a marinha ucraniana revelou que foi utilizado um drone de guerra desenvolvido na Turquia

PUBLICIDADE

O ministério da Defesa da Ucrânia disse este sábado que destruiu um navio militar de desembarque russo, perto da ilha das Serpentes, no Mar Negro, a mesma região onde em abril as forças ucranianas afundaram o principal navio de combate da Rússia. Do lado de Moscovo, o porta-voz do ministério da Defesa disse que os mísseis russos atingiram 44 postos de comando e 196 bastiões das tropas ucranianas durante a noite. Um importante arsenal de armas, que chegaram dos Estados Unidos e da União Europeia, foi destruído em Kharkiv.

Na fábrica Azovstal, em Mariupol, continua a retirada de civis que viveram mais de dois meses em túneis subterrâneos. Cerca de 500 pessoas já foram salvas e as autoridades ucranianas confirmaram que todas as crianças, mulheres e idosos foram retirados.

Na Moldávia, separatistas pró-Putin dizem que foram atingidos por drones ucranianos. O ministério do Interior da Transnístria, república separatista pró-Rússia, divulgou imagens de crateras provocadas pelos bombardeamentos e disse que ninguém ficou ferido.

A presidente da Moldávia disse que as explosões foram causadas por um drone, e tinham como alvo a pista de um antigo aeródromo. Maia Sandu adiantou que as autoridades moldavas estão a acompanhar de muito perto a situação.

A Transnístria tem alertado para várias explosões na região nas últimas duas semanas, e apontou como alvos recentes uma base militar, duas torres de rádio da era soviética e a sede do serviço de segurança estatal.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

António Guterres na Moldávia para mostrar "solidariedade e gratidão"

Ataque a Luhansk terá matado 60 pessoas

Missil russo terá matado dezenas de civis abrigados numa escola