EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Revelado relatório sobre caso "partygate"

Boris Johnson
Boris Johnson Direitos de autor Kirsty Wigglesworth/Associated Press
Direitos de autor Kirsty Wigglesworth/Associated Press
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Boris Johson reitera pedido de desculpas à nação, mas não se demite.

PUBLICIDADE

Após meses de revelações e reviravoltas, o relatório indepente sobre o caso “Partygate” foi finalmente revelado. Estes encontros "não deveriam ter sido permitidos" e o governo deve "assumir responsabilidades". Estas são as principais conclusões do documento produzido pela funcionária Sue Gray, nomeada pelo governo.

Boris Johson falou, esta terça-feira, ao Parlamento, perante a indignação dos deputados da oposição, e reiterou o seu pedido de desculpas à nação, mas não se demitiu.

O chefe do governo falou sobre o almoço de 19 de junho de 2020 na sala do gabinete, episódio que lhe valeu o pagamento de uma multa. Para além disso, assumiu responsabilidades pelos encontros que tiveram lugar entre 2020 e 2021, no decorrer do seu mandato.

"Assumo plena responsabilidade por tudo o que se passou no meu mandato"
Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico

De salientar que o relatório revela que o primeiro-ministro britânico e outros altos funcionários violaram as regras sanitárias impostas ao resto do país. Enquanto a população britânica se isolava para controlar a propagação da Covid-19, o chefe do governo esteve presente em várias festas, muitas delas na sua residência oficial.

Boris Johnson, a esposa Carrie Symonds e o ministro das Finanças, Rishi Sunak, estão ainda entre os 126 multados após a conclusão de uma investigação criminal sobre estes encontros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Deputados britânicos aprovam relatório que conclui que Boris Johnson mentiu sobre "Partygate"

Boris Johnson sob escrutínio

Relatório "Partygate": Johnson volta a pedir desculpa