Novos bombardeamentos em Kharkiv

A cidade de Kharkiv foi alvo de novos ataques russos.
A cidade de Kharkiv foi alvo de novos ataques russos. Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Há registo de pelo menos 9 mortos e 19 feridos.

PUBLICIDADE

Em Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, as sirenes continuam a tocar. Novos bombardeamentos russos deixaram um rasto de destruição e provocaram a morte de pelo menos 9 civis. Há ainda registo de 19 feridos.

Kharkiv, segunda maior cidade do país, foi libertada há poucos dias das tropas russas. Em Donetsk e Lugansk, no leste do país, a situação é diferente. Os russos dominam estas 2 regiões e os Estados Unidos da América temem que seja tarde demais para recuperá-las.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, voltou a reiterar, esta quinta-feira, a necessidade dos restantes países pressionarem a Rússia.

"Pressionar a Rússia é literalmente uma questão de salvar vidas"
Volodymyr Zelensky
Presidente ucraniano

O chefe de Estado acrescentou ainda que "cada dia de atraso, de fraqueza, de debates para 'pacificar' o agressor à custa das vítimas" significa mais ucranianos mortos e reiterou o facto destas serem ameaças para todo o continente europeu.

A Ucrânia revelou que cerca de 8.000 soldados foram tornados prisioneiros pelos russos. Kiev espera trocá-los por soldados do Kremlin. Na cidade ucraniana de Poltova, mais 2 soldados russos foram condenados a penas de prisão por crimes de guerra. Ambos admitiram a culpa e enfrentam agora 12 anos de prisão.

Nas áreas ocupadas pela Rússia, como é o caso de Mariupol, no sul do país, o domínio de Moscovo é visível nas ruas e nas decisões impostas. As férias de verão das crianças, por exemplo, vão ser suspensas e nas ruas circulam camiões com anúncios que contam a versão russa da guerra.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os desafios da ajuda aos ucranianos na Eslováquia e na França

O pesadelo de quem não saiu da Ucrânia

Biden promete que pacote de ajuda militar e financeira à Ucrânia chegará "rapidamente"