Polícia de Uvalde sob intensas críticas

Access to the comments Comentários
De  euronews
21 mortos no tiroteio na Escola Básica de Robb
21 mortos no tiroteio na Escola Básica de Robb   -   Direitos de autor  William Luther/2022 San Antonio Express-News

A polícia do estado norte-americano do Texas está sob intensas críticas após o tiroteio numa escola de Uvalde que fez 21 mortos, 19 eram crianças.

As autoridades são acusadas de passividade, de terem demorado muito tempo a responder ao sinistro e de ninguém ter impedido o jovem de 18 anos de avançar pelo interior da escola básica de Robb.

Segundo um vídeo e vários relatos de testemunhas os pais esperaram mais de uma hora, no exterior da escola, sem que a polícia interviesse quando, Salvador Ramos, levou a cabo o massacre numa sala de aula. "Só depois chegaram unidades de Patrulha de Fronteira dos EUA e "entraram na escola e mataram o suspeito".

O diretor regional do Departamento de Segurança Pública do Texas para o Sul do Texas disse, ainda que "foi noticiado que um agente da polícia do distrito escolar confrontou o suspeito que estava a entrar. Não é exato. Inicialmente, ele entrou livremente. Assim, da casa da avó para a escola, para dentro da escola, ele não foi confrontado por ninguém".

A Casa Branca anunciou que Joe Biden vai a Uvalde no domingo e exige ao Congresso uma legislação de controlo de armas mais apertada.

A porta-voz, Karine Jean-Pierre, sublinhou que "90% dos proprietários de armas apoiam a verificação universal de antecedentes. 84% dos republicanos e 80% dos membros do NRA (Associação Nacional de Armas) apoiam a verificação de antecedentes. Como o Presidente disse esta semana, é hora de transformar esta dor em ação, é hora de o Congresso agir".

Esta não é, no entanto, uma batalha fácil de vencer. O democrata Joe Biden conta com a oposição de 50 congressistas republicanos que há dois anos bloqueiam a lei que prevê que só possam vender armas após verificação de cadastro.

Os Estados Unidos da América são o país com maior percentagem de população armada.

Só este mês de maio, Uvalde foi o terceiro assassinato em massa nos Estados Unidos da América, o 10° desde janeiro.

Em 2021 registaram-se cerca de 700.