This content is not available in your region

Moscovo mais perto de controlar região de Lugansk

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro  com AP, AFP
euronews_icons_loading
A conquista de Severodonetsk faz-se rua a rua
A conquista de Severodonetsk faz-se rua a rua   -   Direitos de autor  Leo Correa/AP

Oitenta por cento da cidade de Severodonetsk, no leste da Ucrânia, está já sob controlo russo. A informação foi avançada por Sergiy Gaidai, o governador regional de Lugansk. As tropas ucranianas cerram a resistência nalguns bairros, mas o centro da mais importante cidade da região já capitulou.

O Presidente ucraniano admite que a guerra está a fazer cerca de 100 mortos e 500 feridos todos os dias, só entre os militares.

A cidade vizinha de Lysychansk teme ser o próximo alvo. Para Oleg Grygorov, chefe da Polícia de Lysychansk, "isto não é uma guerra na linha da frente, é uma guerra com civis que destrói toda a vida nas cidades". 

Os civis que ainda se mantém na região sobrevivem com as remessas de ajuda humanitária. 

Ocidente reforça apoio à Ucrânia

Estados Unidos e Alemanha comprometeram-se a enviar para a Ucrânia armamento avançado capaz de abater aviões e derrubar artilharia pesada. Kiev agradeceu o apoio. Moscovo diz que se trata de pôr gasolina no fogo.

"Isto é uma provocação directa destinada a atrair o Ocidente para as hostilidades," declarou Sergei Lavrov, ministro russo dos Negócios Estrangeiros.

As armas ocidentais têm sido fundamentais para o sucesso da Ucrânia em travar a progressão dos militares russos. A administração norte-americana diz ter a garantia de que Kiev não vai utilizar os sistemas de médio alcance contra alvos em território russo.

Antony Blinken, Secretário de Estado dos EUA diz que "é a Rússia que está a atacar a Ucrânia, e não o contrário. Dito de forma simples, a melhor maneira da Rússia evitar uma escalada é parar a agressão e a guerra que começou. Fazê-lo está inteiramente ao seu alcance".

Se a Rússia capturar Severodonetsk e Lysychansk, vai controlar a região separatista de Lugansk - um objectivo de guerra fundamental para Vladimir Putin.