This content is not available in your region

Registo de armas de fogo cresce em flecha sob Bolsonaro

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com LUSA / AFP
euronews_icons_loading
Armas apreendidas para destruição no Brasil (imagem de arquivo)
Armas apreendidas para destruição no Brasil (imagem de arquivo)   -   Direitos de autor  DOUGLAS MAGNO/AFP or licensors

O número de autorizações de porte de armas de fogo no Brasil multiplicou praticamente por seis entre 2018 e 2022, período durante o qual o governo de Jair Bolsonaro aliviou as regras na matéria.

Os dados são avançados no anuário da ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que revela um aumento de 573,6% no número de certificados de registos ativos de caçadores, atiradores e colecionadores.

E, se o relatório da ONG constata, no ano passado, uma redução no número diário de homicídios no país, para 130 - o valor mais baixo em 10 anos -, essa diminuição esconde outra realidade, segundo o presidente do Fórum, Renato Sérgio Lima:

"O Brasil em 2021 teve uma boa noticia: é a reduçao de 6,5% das mortes violentas intencionais, dos homicidios. Mas essa boa noticia esconde na verdade uma realidade extremamente perversa que é que o Brasil responde por 1 em cada 5 mortes no planeta em 2020, segundo os dados do escritorio da ONU para crimes e drogas."

euronews
Número de vítimas de homicídios intencionais no Brasil em 2020, em comparação com o resto do mundoeuronews

O relatório revela ainda que a violência tem crescido sobretudo na região norte do Brasil, onde está localizada a floresta amazónica e que a segunda área menos populosa do país, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com 18,9 milhões de habitantes.

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa

Outras fontes • Fórum Brasileiro de Segurança Pública