This content is not available in your region

Roménia e Bulgária tiram minas do Mar Negro

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Até agora, foram descobertas 21 minas marítimas no Mar Negro
Até agora, foram descobertas 21 minas marítimas no Mar Negro   -   Direitos de autor  euronews

Quase seis meses após o início da guerra na Ucrânia, as minas à deriva no Mar Negro ameaçam a época estival dos países da região.

As autoridades da Roménia e da Bulgária intensificaram as patrulhas de modo a garantir a segurança das respetivas praias, destino de milhares de pessoas durante o verão.

As águas do Mar Negro são partilhadas pela Roménia, Bulgária, Turquia, Ucrânia, Rússia e Geórgia. O Secretário-Geral Adjunto da NATO, Mircea Geoană, afirma que as áreas Aliança Atlântica são seguras:

"Há algumas minas ao largo de Odessa, basicamente, devido ao movimento do mar, que as faz "migrar", de certa forma. Há navios especializados em desminagem a fazer o seu trabalho. Está a ser feita uma investigação aprofundada sobre esta questão. Eu diria que as pessoas no litoral da NATO, no Mar Negro, podem ir passar as suas férias em segurança, sem dificuldades significativas. Acreditamos que Roménia, Turquia e Bulgária, com a ajuda de outros aliados, têm os meios para se debruçarem sobre este perigo".

Até agora, foram descobertas 21 minas marítimas no Mar Negro: uma nas águas territoriais da Roménia, três na Turquia, 16 na Ucrânia e uma na Bulgária. Todas estas minas foram neutralizadas, mas ainda assim, haverá centenas minas, à deriva no mar, provenientes das barragens instaladas nos portos ucranianos.

Na Bulgária e na Roménia, todos os navios ou barcos de pesca devem assinalar, de imediato, caso detetem algum objeto suspeito em alto mar.

"Mesmo que não seja certo que seja uma mina, é melhor ter um alarme falso e verificá-lo, do que encará-lo com descaso e depois ter um grande problema", afirma o diretor executivo da "Administração Marítima" da Bulgária Zhivko Petkov.

Para proteger o tráfego marítimo, a Marinha romena executa missões contínuas com cinco navios de guerra, apoiados por dois helicópteros navais.

O comandante do Navio Vice-Almirante Constantin Bălescu, Daniel Gheorma, diz que "a posição das minas não é conhecida por isso, torna-se difícil para os navegadores ou capitães dos navios tomar as melhores decisões para evitar essas rotas. É por isso que estamos em alerta máximo".

A costa do Mar Negro é um destino apetecível para milhares de turistas que todos os anos passam aqui férias, por isso, estas operações são tão importantes.

Os portos ucranianos, no Mar Negro, estão bloqueados desde o início da guerra na Ucrânia, o que afetou as exportações através desta rota, em especial de cereais.