This content is not available in your region

Albânia e Macedónia do Norte mais perto da UE

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa
euronews_icons_loading
Parlamento da Macedónia do Norte
Parlamento da Macedónia do Norte   -   Direitos de autor  Boris Grdanoski/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

A Albânia e a Macedónia do Norte receberem esta segunda-feira a luz verde de Bruxelas para o início das negociações de adesão. Tirana candidatou-se em 2009 e recebeu o estatuto de candidato em 2014. Skopje candidatou-se em 2004 e recebeu o estatuto um ano depois.

O comissário europeu para o Alargamento diz que agora há muito mais abertura para acolher novos membros na União Europeia. “Mas é claro que estes novos membros terão de convencer os membros atuais de que estão prontos a cumprir todos os requisitos", sublinha Olivér Várhelyi, afirmando que “se a Europa quer viver em segurança, prosperidade e estabilidade, tem de ter a sua vizinhança totalmente integrada”.

O anúncio desta segunda-feira acontece depois da Macedónia do Norte resolver o longo litígio com a Bulgária, que tinha bloqueado o início das conversações de adesão entre Bruxelas e Skopje, insistindo que a língua macedónia tem raízes búlgaras e que os dois países têm uma história comum. No sábado, o Parlamento da Macedónia do Norte aprovou a proposta da União Europeia (UE) para resolução do diferendo com o apoio dos partidos da coligação no Governo. Outras questões bilaterais estarão fora do quadro.

Amanhã, a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, fará uma declaração pública acompanhada pelo Primeiro-ministro da República Checa, o país que detém a presidência do Conselho da UE durante estes seis meses, Petr Fiala, o Primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, e o Primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Dimitar Kovačevski, sobre o início do processo de negociações de adesão.