EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Primeiro navio de cereais a Ucrânia inspecionado no Bósforo

Primeiro navio carregado de cereais a sair do porto de Odessa
Primeiro navio carregado de cereais a sair do porto de Odessa Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro navio carregado de cereais da Ucrânia foi inspecionado no Bósforo, por funcionários ucranianos e russos.

PUBLICIDADE

Uma equipa de funcionários russos e ucranianos começou a inspecionar esta quarta-feira, à entrada do Bósforo, ao largo de Istambul, o primeiro carregamento de cereais exportados pela Ucrânia desde o início da invasão russa a 24 de fevereiro.

O Razoni, um cargueiro de pavilhão da Serra Leoa, chegou à costa norte de Istambul, no Mar Negro, na terça-feira, depois de deixar o porto ucraniano de Odessa, na segunda-feira, com 26.000 toneladas de milho.

O carregamento destina-se ao porto de Trípoli no Líbano.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kouleba, há mais 16 navios carregados de cereais prontos a partir do porto de Odessa.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, saudou "calorosamente" a partida do Razoni, manifestando a esperança de que a retomada das exportações ucranianas, um dos maiores produtores mundiais de cereais, "proporcione a estabilidade e a assistência essenciais para a segurança alimentar mundial".

O presidente da Ucrânia diz que o objetivo é agora a continuidade e regularidade de entrega de cereais aos consumidores da produção agrícola do país

O acordo assinado a 22 de julho pela Rússia e Ucrânia, mediado pela Turquia e sob a égide das Nações Unidas, permite a retomada dos carregamentos para os mercados mundiais de cereais ucranianos bloqueados desde a invasão russa, sob supervisão internacional.

O documento inclui o estabelecimento de corredores seguros para permitir aos navios mercantes viajar no Mar Negro e exportar 20-25 milhões de toneladas de cereais.

"Esperemos que os acordos sejam implementados por todas as partes e que os mecanismos funcionem eficazmente", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Um acordo semelhante, assinado ao mesmo tempo, garante à Rússia a exportação dos seus produtos agrícolas e fertilizantes, apesar das sanções ocidentais.

Ambos os acordos se destinam a ajudar a atenuar a crise alimentar global causada pelo aumento dos preços dos alimentos em alguns dos países mais pobres do mundo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

370 mil toneladas de cereais retirados da Ucrânia em 10 dias

Quatro navios saíram da Ucrânia

Vários feridos na explosão de um armazém de cereais no porto turco de Derince