Pentágono e ONU reforçam ajuda à Ucrânia

Guerra na Ucrânia
Guerra na Ucrânia Direitos de autor AP Photo/Mosa'ab Elshamy
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pentágono e ONU reforçam ajuda à Ucrânia. Ajuda militar e humanitária a Kiev aumenta em milhares de milhões de dólares

PUBLICIDADE

Pentágono anunciou uma nova ajuda militar de mil milhões de dólares para a Ucrânia, incluindo mais sistemas de mísseis HIMARS para auxiliar as forças de Kiev a atacar tropas russas muito atrás das linhas da frente.

É a maior parcela de ajuda de Washington até agora, elevando o montante total para 9,8 mil milhões de dólares.

"Estamos a trabalhar 24 horas por dia para satisfazer os pedidos prioritários de assistência de segurança da Ucrânia. Entregamos armas dos Estados Unidos quando estão disponíveis e facilitamos a entrega de armas por aliados e parceiros quando os seus sistemas se adequam melhor às necessidades da Ucrânia," afirmou o secretário-adjunto da Defesa dos EUA, Colin Kahl.

Na Ucrânia, os bombardeamentos continuam. Um dos últimos ataques de mísseis russos atingiu a cidade de Kramatorsk.

"Estávamos a dormir, às 02:15 caiu um míssil. As janelas partiram-se. Fomos para a rua e vimos um grande buraco no jardim. Havia aqui um quintal, era possível plantar tudo e fazer conservas. Não sobrou nada," explica uma habitante de Kramatork.

A ONU reviu o plano humanitário para a Ucrânia, antes da chegada do Inverno, aumentando-o de 2,25 para 4,3 mil milhões de dólares.

"Os nossos colegas humanitários advertem que durante o próximo Inverno a situação pode deteriorar-se à medida que mais pessoas serão deslocadas de áreas com acesso limitado a gás, combustível ou eletricidade. O apoio a estas pessoas é uma prioridade," revelou o porta-voz do Secretário-Geral da ONU, Stéphane Dujarric.

Entretanto, a televisão russa divulgou imagens mostrando, alegadamente, as consequências dos bombardeamentos ucranianos em Donetsk. As autoridades separatistas afirmam que dois habitantes foram mortos e mais cinco ficaram feridos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Guterres defende desbloqueio de sanções aos produtos agrícolas russos

Bombardeamentos russos matam em Margarets

Bombardeamentos em Zaporíjia levantam receios nucleares na Ucrânia