This content is not available in your region

Ciência, genes e desporto revolucionam investigação no Qatar

De  Euronews
euronews_icons_loading
Ciência, genes e desporto revolucionam investigação no Qatar

Nesta edição do Qatar 365, analisamos de três programas que fazem enormes progressos na investigação científica: A amostragem de ADN do Biobank que está a transformar o tratamento de pacientes, o Programa Genoma do Qatar que está a mudar a medicina de precisão e umas instalações que estão a revolucionar o tratamento de lesões desportivas.

Um ator líder na investigação em medicina desportiva

Desde que abriu portas no coração da cidade desportiva de Doha, em 2007, a Aspetar tem tratado alguns dos maiores nomes do desporto. Reconhecida internacionalmente como uma das principais instalações de investigação em medicina desportiva, combina a mais recente tecnologia com novas investigações.

No hospital, está disponível uma gama de recursos, incluindo laboratórios de avaliação de movimentos, hidroterapia, fisioterapia e reabilitação, assim como salas de cirurgia e cirurgia desportiva, odontologia, e instalações de fitness.

O Dr. Jamal al Khanji, Chefe de Experiência do Paciente da Aspetar, explica que as instalações foram criadas tendo em mente os atletas de elite.

Quero que os atletas se sintam em casa e a casa para eles é um centro de treino ou um ginásio. Se entrar na Aspetar verá que é mais assim do que propriamente um hospital.
Dr. Jamal al Khanji
Chefe de Experiência do Paciente da Aspetar

O fisioterapeuta da Aspetar, Dr. Rod Whitely, tem assistido a muitas mudanças tecnológicas no mundo do desporto desde que começou a tratar os atletas.

Há mais de trinta anos, quando comecei a fazer isto, tudo o que realmente tínhamos disponível para avaliar como os atletas se moviam e para tentar adivinhar onde as diferentes cargas atravessavam as articulações, músculos e ligamentos eram, basicamente, os nossos olhos", disse.

Com dados científicos, um bom palpite é agora apoiado com provas.

O crescimento da medicina de precisão

O Qatar Biobank utiliza dados dos pacientes para fornecer aos profissionais da medicina toda a informação que necessitam para cuidados personalizados.

Foi lançado em 2012, para permitir aos cientistas locais realizarem investigações médicas sobre questões de saúde prevalecentes no Qatar, como a diabetes, o cancro e a obesidade.

Para além do preenchimento de questionários, os participantes são obrigados a fornecer sangue e outras amostras de ADN. Depois disso, são reavaliados de 5 em 5 anos. Os cientistas podem então testar os métodos de prevenção para ver se são eficazes.

Euronews
Diretora do Qatar Biobank, Dra. Nahla AfifiEuronews

A Diretora do Qatar Biobank, Dra. Nahla Afifi, explica: "Já está a ajudar a fornecer aos médicos e aos patologistas as ferramentas certas para o diagnóstico".

VEMOS O BIOBANK COMO UM PILAR NA IMPLEMENTAÇÃO DA MEDICINA DE PRECISÃO NO QATAR
Dra. Nahla Afifi
Diretora do Biobank do Qatar

Mapear os nossos genomas

E um dos projetos para o qual o Biobank contribuiu é o Programa Genoma do Qatar - uma iniciativa pioneira de sequenciamento do genoma. O QGP tem sequenciado 32 mil genomas desde 2015.

A sequência do genoma é essencial para compreender a predisposição de um indivíduo para certas doenças comuns, e desenvolver conjuntos de dados de populações inteiras que possam ser utilizados para compreender os fatores causais. O prognóstico das doenças genéticas raras pode ser determinado rapidamente.

O Dr. Said Ismail, o direcor do QGP, sublinha a importância da diversidade da informação relativa ao genoma.

"Até agora, pode-se dizer que mais de 95% dos dados disponíveis provêm da Europa Ocidental e da América do Norte, europeus caucasianos. Não se pode afirmar que se compreendeu o genoma humano, a não ser que se estudem grupos representativos de todo o mundo".

Euronews
Dr. Said IsmailEuronews

A QGP também realiza workshops de genoma para crianças.

A ideia é basicamente incentivar a próxima geração de geneticistas aqui no Qatar. "Convencê-los a entrar na ciência não é um trabalho fácil", conclui o Dr. Ismail.

Olhando para o futuro

À medida que o país se aproxima do Campeonato Mundial de Futebol de 2022, hospitais de ciências desportivas como a Aspetar estão na linha da frente no tratamento de lesões desportivas utilizando tecnologia científica de ponta.

O Biobank já recolheu amostras de mais de 27 mil Qataris e residentes de longa duração, mas tem capacidade suficiente para armazenar mais de 2 milhões e 300 mil. O seu trabalho com doentes com COVID-19 tem sido um passo vital para ajudar os cuidados de saúde locais e regionais a tornarem-se mais centrados no consumidor.

E, no início deste ano, o Programa de Genoma do Qatar anunciou uma parceria com a Thermo Fisher Scientific, que visa acelerar a investigação genómica e as aplicações clínicas da genómica preditiva no país.

É evidente que, de um modo geral, a investigação científica a decorrer em todo o Qatar - seja no campo do desporto, da medicina de precisão ou da genética - visa ter impactos a longo prazo e tangíveis.