This content is not available in your region

Emmanuel Macron na Argélia pela "juventude e futuro"

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AFP
Visita de Macron a Argel
Visita de Macron a Argel   -   Direitos de autor  AP

No primeiro dia da visita à Argélia, Emmanuel Macron depositou uma coroa de flores no monumento aos mártires da Independência. A visita coincide com o 60º aniversário do fim da guerra e a proclamação da independência da Argélia em 1962. Mas o presidente francês disse estar acima de tudo determinado a dirigi-la para "a juventude e o futuro".

Do lado argelino, a visita de Macron é vista como um marco para "um novo impulso a uma nova visão baseada na igualdade de tratamento e num equilíbrio de interesses", de acordo com a agência oficial APS. A escolha do presidente francês para fazer esta viagem no início do seu segundo mandato de cinco anos corresponde também, segundo Argel, a "um reconhecimento do papel da Argélia na região" e a um "regresso em vigor da diplomacia argelina à cena internacional".

Desde o início da guerra na Ucrânia, a Argélia, o maior produtor de gás em África e um dos dez maiores do mundo, tem sido muito procurada pelos europeus que estão ansiosos por reduzir a sua dependência do gás russo.

O gás argelino "não é realmente o tema da visita" e não haverá "anúncios de grandes contratos ou negociações", disse o Palácio do Eliseu, embora a chefe do gigante da energia Engie, Catherine MacGregor, faça parte da delegação.

Os dois presidentes irão também discutir a situação no Mali, da qual o exército francês acaba de se retirar, e a crescente influência russa em África.