This content is not available in your region

Segurança nuclear em Zaporíjia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Rafael Grossi
Rafael Grossi   -   Direitos de autor  Andriy Andriyenko/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) fez esta segunda-feira o ponto da situação na central nuclear de Zaporíjia e sobre os planos para as próximas semanas.

Rafael Grossi assegurou que tanto a Rússia como a Ucrânia parecem estar interessadas em estabelecer uma zona de segurança à volta da central, que é controlada pelo exército russo.

"De acordo com a informação que temos, estão a tentar consolidar a questão do fornecimento externo de energia, incluindo, se possível, a restauração de algumas das principais linhas de energia elétrica antigas. Mas, como se sabe, em alguns casos elas passam para o território de controlo russo. Portanto, isto pode ser um pouco complicado. O esforço agora é tentar manter a central operacional", afirmou o diretor da AIEA.

Rafael de Grossi visitou a central no início deste mês e voltou a alertar para o risco de desastre nuclear enquanto continuarem os bombardeamentos.

Dois inspetores da AIEA monitorizam no terreno o que está a acontecer na maior central nuclear da Europa.

Apesar da presença militar russa, a central continua a ser controlada pelo operador público das centrais nucleares da Ucrânia e Kiev continua a tomar decisões.