This content is not available in your region

Setor da cerâmica aguarda medidas do Governo e de Bruxelas

Access to the comments Comentários
De  Filipa Soares
euronews_icons_loading
Setor da cerâmica é um dos mais afetados pela crise energética
Setor da cerâmica é um dos mais afetados pela crise energética   -   Direitos de autor  Euronews

O setor da cerâmica é um dos mais afetados pelo aumento dos preços da energia. A fatura de gás desta empresa, no norte de Portugal, aumentou quase cinco vezes, de 300 mil euros para um milhão e meio por mês. A fatura da electricidade duplicou.

"Estamos a falar num peso do gás e da energia que era de cerca de 30% e passou para mais de 55% neste momento, o que impacta em termos de tudo aquilo que é a nossa produção, os nossos preços, a nossa margem", frisa João Lima, diretor-geral da CINCA, Companhia Industrial de Cerâmica.   

Este ano a empresa já esteve em "layoff" durante mês e meio. A administração não descarta paragens mais pequenas no futuro, mas para tentar evitá-las está a tentar reduzir os consumos e a ponderar investimentos.

"Estamos a analisar investimentos ao nível da cogeração, ao nível do aproveitamento de energia do calor dos fornos, mas são investimentos que não são fáceis de fazer neste momento, especialmente porque ao mesmo tempo, nesta tempestade perfeita, a parte da inflação obriga-nos a fazer alguma gestão de investimentos, porque as taxas de juro estão a subir cada vez mais", sublinha João Lima. 

O diretor-geral da Companhia Industrial de Cerâmica aguarda que a União Europeia e o Governo português tomem medidas para ajudar as empresas. "Esta demora é extremamente prejudicial. Nós estamos há vários meses no fundo a tentarmos equilibrar-nos e não está a ser fácil sem um apoio claro a nível político e a nível económico", destaca.

A Euronews contactou várias outras empresas do setor que não quiseram falar sobre este assunto. Disseram que preferiam esperar pelas medidas que o Governo português prometeu anunciar para as empresas depois do Conselho de Energia, em Bruxelas.

De acordo com os dados que nos foram fornecidos pela APICER,  Associação Portuguesa das Indústrias de Cerâmica e de Cristalaria, em Portugal, existem 1092 empresas neste setor, que dão emprego a mais de 18 mil pessoas. O volume de exportação é de 813 milhões de euros e a faturação anual é de 1,1 mil milhões de euros.