EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Kremlin reconhece derrota na região de Kharkiv

Sasha Vakulina, jornalista Euronews
Sasha Vakulina, jornalista Euronews Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Segundo o ISW, o Kremlin reconheceu a derrota na região de Kharkiv. É o primeiro reconhecimento de derrota por parte da Rússia desde o início da guerra

PUBLICIDADE

O Instituto para o Estudo da Guerra (ISW) diz que o Kremlin reconheceu a sua derrota na região de Kharkiv . É a primeira vez que a Rússia reconhece uma derrota desde a invasão da Ucrânia, em fevereiro de 2022.

Antes, Moscovo nunca admitiu que tinha sido derrotada em torno de Kiev e, mais tarde, na Ilha da Serpente, chamou-lhe ou "gesto de boa vontade" ou "priorização" da chamada "libertação" do Donbass.

A contraofensiva ucraniana ainda está a acontecer em toda a região de Kharkiv, isto é, no nordeste da Ucrânia ea linha da frente na Ucrânia oriental aproxima-se agora das fronteiras do território reivindicado pela autoproclamada República Popular de Luhansk, separatista e pró-russa.

De acordo com as autoridades ucranianas, "Há agora um assalto a Lyman e poderá haver um avanço sobre Siversk, mais tarde". De acordo com os autoproclamados líderes desses territórios, Lyman permanece nas suas mãos e a situação "foi estabilizada" nesta área do Donbass.

A contraofensiva continua também na região de Kherson, com combates pesados em toda a linha da frente de Kherson e das duas regiões vizinhas, desde a região de Mykolayiv e também a partir do Norte em direção a Kherson.

Tem havido pouca informação e detalhes sobre a contraofensiva no sul e sobre o que tem acontecido no terreno, mas as autoridades ucranianas dizem que continua.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa

Ataque russo com mísseis faz seis mortos em subúrbio de Kharkiv

Guerra na Ucrânia: dez mil pessoas obrigadas a abandonar Kharkiv