EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Procurador ucraniano encontra provas de tortura

Militares ucranianos
Militares ucranianos Direitos de autor Kostiantyn Liberov/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Kostiantyn Liberov/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Procuradoria ucraniana está investiga prisões subterrâneas encontradas nas áreas retomadas às forças russas

PUBLICIDADE

A Procuradoria ucraniana encontrou provas de tortura em prisões subterrâneas localizadas em áreas libertadas pelas forças ucranianas na região de Kharkiv.

Um dos exemplos apontados foi a prisão subterrânea encontrada na lodalidade de Shevchenkove

O procurador público afirma que civis e desertores foram aqui torturados.

“Encontrámos provas de tortura. Civis foram torturados aqui, bem como desertores russos”, denunciou Roman Oleksandrovych, procurador-público ucraniano. 

O número e o destino dado aos prisioneiros que passaram pelas celas subterrâneas permanece incerto mas há habitantes locais que nunca mais foram vistos.

“Um homem que conduzia um carro mostrou uma bandeira ucraniana. Eles fizeram-no parar disparando tiros para o ar. Entraram no carro com ele e arrancaram. Não sabemos onde ele está agora", afirma Constantin, um residente local.

A contra-ofensiva lançada pelo exército ucraniano no início do mês revelou o que se passou na região de Kharkiv ocupada por tropas russas durante meses.

Para além da descoberta de prisões subterrâneas foram igualmente encontradas centenas de sepulturas numa floresta em Izyum.

O exército ucraniano está agora a investigar uma alegada vala comum com mais de 100 corpos numa cidade perto da fronteira com a Rússia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Encontrada mais uma vala comum nos arredores de Kharkiv

Cadáveres em Izium com sinais de tortura

Agachados e nus: Sobreviventes da Azovstal relatam semanas de tortura