Explosões em Kiev

Explosão na ponte Kerch que liga a Rússia à Península da Crimeia
Explosão na ponte Kerch que liga a Rússia à Península da Crimeia Direitos de autor AP/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladimir Putin ordena ataque a Kiev e acusa Ucrânia de ato de terrorismos após explosão na ponte que liga a Rússia ao território ocupado da Crimeia

PUBLICIDADE

Foram ouvidas várias explosões em Kiev, na manhã desta segunda-feira.

De acordo com a agência de notícias France Press (AFP), os mísseis russos atingiram a capital da Ucrânia por volta das 8:15 horas locais (6:15 horas em Lisboa).

As sirenes de ataque aéreo soaram minutos antes das explosões. O presidente da Câmara Municipal de Kiev, Vitalii Klitchko, relatou explosões no bairro central da cidade de Shevchenko. Não há, para já, relatos de vítimas.

O ataque à capital da Ucrânia ocorre dois dias após explosão na ponte Kerch que liga a Rússia à Península da Crimeia. No sábado colapsou, parcialmente, depois de uma violenta explosão, inicialmente atribuída à implosão de um camião.

O presidente russo vai reunir-se esta segunda-feira com o Conselho de Segurança, onde a explosão será também abordada. Entretanto, Vladimir Putin apontou já o dedo a Kiev, acusando os serviços secretos ucranianos de "um ato de terrorismo".

"Não há dúvida de que se trata de um ato de terrorismo destinado a destruir as infraestruturas civis críticas da Rússia. Os seus autores, perpetradores e beneficiários são os serviços de segurança da Ucrânia", disse.

Sete tanques de combustível, transportados por um comboio explodiram, também, e três pessoas morreram.

O caso mostra, de acordo com o analista político Abbas Gallyamov, as fragilidades do Governo de Vladimir Putin: "Esta é uma clara confirmação da fraqueza do exército de Putin, dos serviços especiais de Putin, do Estado de Putin, do regime de Putin, do próprio Putin. Isto, é claro, inspirou a oposição. Enquanto os lealistas são desmoralizados. Ou seja, isto porque mais uma vez veem que quando as autoridades dizem que tudo está a correr como planeado, e nós ganhamos, eles mentem, isso desmoraliza-os".

Entretanto, a cidade ucraniana de Zaporíjia voltou a ser alvo de mais bombardeamentos por parte das forças russas, no domingo.

Há pelo menos 14 mortes confirmadas, e mais de meia centena de feridos, de acordo com o último balanço das autoridades locais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo ataque com mísseis em Zaporíjia faz pelo menos 12 mortos

Trânsito retoma lentamente na ponte da Crimeia

NATO não pode confiar no "delírio de grandeza" de Putin, diz ministra alemã