EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Gás Natural Liquefeito ajuda a Alemanha a distanciar-se da Rússia

Terminal de gás natural na Alemanha
Terminal de gás natural na Alemanha Direitos de autor Sina Schuldt/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Direitos de autor Sina Schuldt/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os navios-tanque com GNL deverão atracar na costa norte germânica ainda este ano e outros duas portas de acessos deverão ser abertas até ao final de 2023

PUBLICIDADE

Graças ao gás natural liquefeito, a Alemanha vai tornar-se independente das importações de gás russo.

Até agora não existiam instalações portuárias, mas estão a ser construídos terminais a toda a velocidade onde o gás poderá ser descarregado e em dezembro haverá mais um ponto de acesso para o GNL.

“É claro que há muita pressão política para estabelecer este projeto. Planeamos fazê-lo em meados de dezembro", revela Mathias Lüdicke, gestor nos Portos da Baixa Saxónia.

Os navios-tanque com o gás natural deverão atracar na costa norte da Alemanha este ano, e outros dois terminais deverão estar prontos até ao final de 2023. Há vários anos que existem planos para este local mas faltava a vontade política. Agora há novas preocupações.

“Após os ataques aos gasodutos Nord Stream, disseram que esta era uma infraestrutura crítica. E as medidas de segurança foram novamente reforçadas”, sublinha Mathias Lüdicke.

A polícia vigia o novo terminal 24 horas por dia - na água e em terra. Quando todos os projeto que envolvem gás natural liquefeito estiverem concluídos, ficará garantido um terço do consumo de gás da Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O vídeo "vergonhoso" da ministra da defesa alemã

Famílias alemãs procuram alternativas ao gás

Alemanha "preocupada" com resultados das eleições francesas apesar da derrota da extrema-direita