EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Crianças angolanas e afegãs sorriem na Alemanha

Crianças angolas e afegãs na Alemanha
Crianças angolas e afegãs na Alemanha Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Neusa e Silva e João Peseiro Monteiro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A ONG Friedensdorf International já tratou mais de duas mil crianças angolanas. "Aldeia" na Alemanha junta crianças de várias nacionalidades

PUBLICIDADE

Uma infeção óssea juntou Carlos e Evadula na Alemanha. O jovem angolano passou dois anos na sede da ONG Friedensdorf International mas agora regressa a casa. Além dos tratamentos gratuitos, os dois jovens partilharam experiências pessoais.

Carlos levou muitas histórias do Afeganistão na bagagem, neste regresso tão aguardado pela família. Esta foi a segunda estada de Carlos na Alemanha. Há cinco anos partiu pela primeira vez e voltou a casa ao fim de um ano. Um par de anos depois regressou à Europa para concluir o tratamento.

Com o regresso de Carlos e de mais 40 jovens angolanos abriu-se a oportunidade para igual número de crianças fazerem a viagem no sentido contrário.

Eu sofri muito com este menino
Madalena Paulo
Mãe de Carlos

“As madrinhas, os padrinhos, as mãe, os pais tutelares é que nos ajudam a identificar as crianças nos mais recônditos pontos do nosso país, nas aldeias, nas ombalas. Depois elas são selecionadas e são triadas a nível dos serviços de saúde nas províncias” – explica a vice-presidente da ONG angolana Kimbo Liombembua, Faustina Sousa.

O número de vagas é insuficiente para todos quantos buscam tratamento na Alemanha. Para quem fica em Luanda, os médicos da ONG prometem continuar a ajudar, embora à distância.

A maioria das crianças que viajou para a Alemanha sofre de osteomielite. O tratamento desta infeção óssea é uma das prioridades da ONG alemã que promove tratamentos gratuitos em países em crise ou muito pobres. Perto de 2500 crianças angolanas já beneficiaram deste projeto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Major angolano Pedro Lussati condenado a 14 anos de prisão

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico

Borrell compara destruição em Gaza com danos causados nas cidades alemãs na Segunda Guerra Mundial