EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Centenas de chineses protestam contra política de "Covid zero"

Protestos na China.
Protestos na China. Direitos de autor AP/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor AP/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os cidadãos chineses sairam às ruas para protestar contra as medidas adotadas pelo executivo, naquela que é uma das poucas manifestações públicas, em grande escala, realizadas na China devido ao regime repressivo de Xi Jinping.

PUBLICIDADE

Na China, centenas de pessoas, entre elas estudantes universitários, sairam às ruas, este domingo, em Pequim, Xangai, Wuhan, e noutras cidades, para protestarem contra as medidas restritivas aplicadas pelo governo, face à pandemia de Covid-19.

O país tem vindo a por em prática, há quase três anos, uma política de "Covid zero", aplicando confinamentos sistemáticos, quarentena para os casos de contacto ou até mesmo a testagem em massa da população.

Não queremos testes PCR nem máscaras. Queremos liberdade.
Manifestantes

Os chineses mostram-se descontentes e cansados com esta política e manifestaram-se um pouco por todo o país, naquela que é uma das poucas manifestações públicas,em grande escala, realizadas na China, devido ao regime repressivo do Presidente Xi Jinping.

A polícia tentou dispersar os manifestantes, com recurso à força, e as autoridades estarão mesmo a tentar localizar os líderes dos protestos, conforme confirmou à Agência France Presse (AFP) um cidadão estrangeiro, que pretende permanecer no anonimato.

De salientar ainda que as imagens ou vídeos, referentes aos protestos, que chegam às redes sociais, são, quase, automaticamente eliminados pelas autoridades.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Fim da "era dourada" entre R. Unido e China

Pequim volta ao confinamento por causa da Covid-19

Hamas e Fatah assinam acordo de "unidade nacional" em Pequim