EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Mais mil milhões de euros de ajuda internacional à Ucrânia

O inverno e a guerra, em Borodyanka, na Ucrânia
O inverno e a guerra, em Borodyanka, na Ucrânia Direitos de autor frame
Direitos de autor frame
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Conferência de Doadores de Paris deixou a promessa de mais mil milhões de euros de ajuda à Ucrânia para energia, água, infraestruturas e transportes

PUBLICIDADE

A Ucrânia necessita de ajuda urgente para enfrentar o inverno. Com metade das infraestruturas do país destruídas pelos bombardeamentos russos, cerca de 12 milhões de ucranianos tentam sobreviver às baixas temperaturas em condições muito difíceis.

Hanna Reznikova, de 63 anos, residente em Borodyanka mostra as condições em que vive e afirma, apontando para os aquecedores vetustos: "Eu ligo o aquecedor elétrico e este pequeno aparelho de ar condicionado. Mas não é suficiente, este está parcialmente avariado e mal emite calor".

À pergunta da repórter: "Como é que se dorme à noite? Responde: "Cobrimo-nos com alguns cobertores, é assim que dormimos".

Os combates mais intensos decorrem agora em Bakhmut, no leste da Ucrânia. Os bombardeamentos russos duram há quatro meses. A maioria da população fugiu, mas os restam tentam sobreviver sem eletricidade, sem gás, sem água corrente, sem aquecimento e sem comunicações.

Uma residente, Irina, diz, chorando, entre os sons das bombas: "Foi-me prometido uma nova fornalha de combustão para aquecimento. Mas nunca a consegui. Como é que sobrevivemos quando a casa está gelada"?

O presidente Zelenskyy disse na conferência de doadores em Paris, onde participou por videoconferência: "Neste momento, cerca de 12 milhões de pessoas em quase todas as regiões - e a capital da Ucrânia - não têm fornecimento de energia. Infelizmente esta é uma situação típica para nós, e esperamos novos ataques russos todos os dias, o que pode aumentar dramaticamente o número de interrupções de fornecimento".

Mais de 70 países e organizações internacionais deixaram na capital francesa a promessa de mais de mil milhões de euros de ajuda à Ucrânia, para levar às populações a energia, aquecimento, alimentação que lhes permita enfrentar este inverno de todas as provações.

Dos mil milhões de euros anunciados, 415 milhões serão atribuídos ao setor da energia, 25 milhões ao setor da água, 38 milhões à alimentação, 17 milhões à saúde, 22 milhões aos transportes, e o resto, ou seja, quase 493 milhões, ainda não foi repartido, segundo a ministra francesa dos Negócios Estrangeiros,  Catherine Colonna.

Do lado francês, o presidente, Emmanuel Macron, anunciou um adicional de 76,5 milhões de euros no início de 2023 para ajudar a passar o inverno. A Ministra dos Negócios Estrangeiros alemã, Annalena Baerbock, disse que Berlim forneceria 50 milhões de euros.

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, recordando o compromisso da UE de fornecer a Kiev assistência macrofinanceira no valor de 18 mil milhões de euros até 2023, anunciou a compra de 30 milhões de lâmpadas LED para a Ucrânia, que são muito mais eficientes do ponto de vista energético.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Maior hospital pediátrico de Kiev alvo de ataque russo

Ucrânia atinge com drones depósito de munições no interior da Rússia

Dez prisioneiros de guerra ucranianos regressam a casa após anos de cativeiro russo