Ucrânia prevê ofensiva russa no início de 2023

SASHA VAKULINA
SASHA VAKULINA Direitos de autor Euronews
De  SASHA VAKULINA
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Kiev destaca mobilização, recrutamento e movimento de armamento pesado do lado russo

PUBLICIDADE

Os militares ucranianos prevêem uma ofensiva russa em larga escala nos primeiros meses de 2023, tendo em conta indicadores como os esforços de mobilização, o anúncio de recrutamento, e o movimento de armamento pesado.

Este pressuposto é consistente com a avaliação do Instituto para o Estudo da Guerra. Segundo o grupo de reflexão com sede nos Estados Unidos, os meses de inverno irão aumentar o ritmo das operações nos dois lados do conflito, e as condições no terreno em toda a Ucrânia serão propícias a operações ofensivas.

Nos próximos meses, as forças russas podem muito rapidamente relançar operações ofensivas em dois eixos principais de avanço - ao longo da fronteira Kharkiv-Luhansk no nordeste, ou na região de Donetsk.

Segundo o Instituto para o Estudo da Guerras, as tropas russas parecem estar a deslocar equipamento pesado das áreas de retaguarda na região de Luhansk para áreas próximas da atual linha de frente ao longo da fronteira entre Kharkiv-Luhansk. Fontes de Kiev e Moscovo relataram que as tropas russas estão a conduzir operações ofensivas limitadas ao longo desta linha, particularmente para recuperar posições perdidas a oeste de Kreminna. A descida das temperaturas nesta área permitiu que o solo se solidificasse, estabelecendo condições para aumentar o ritmo das operações ofensivas.

O poder de combate russo que foi libertado na sequência da retirada da margem ocidental da região de Kherson e foi reforçado em várias regiões do Donbass por reservistas mobilizados.

As forças russas podem ainda lançar uma ofensiva na região ocidental de Donetsk para aproveitar os avanços marginais na região de Vuhledar-Pavlivka em Novembro.

O Instituto para o Estudo da Guerra diz que a decisão do presidente russo de adiar o seu discurso anual, pode significar que Putin está à espera para fazer um discurso de vitória grandioso em 2023 ou a adiar o momento em que terá de admitir que a Rússia não pode alcançar os seus objetivos na Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia: Da invasão à retirada parcial

"Temos de manter o apoio à Ucrânia e também a pressão sobre a Rússia"

Ucrânia: dois anos de guerra