EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Harvey Weinstein considerado culpado de mais três crimes sexuais

Harvey Weinstein, antigo produtor de Hollywood, acusado e condenado por crimes sexuais
Harvey Weinstein, antigo produtor de Hollywood, acusado e condenado por crimes sexuais Direitos de autor ETIENNE LAURENT/AFP
Direitos de autor ETIENNE LAURENT/AFP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tribunal de Los Angeles considerou o antigo produtor de Hollywood culpado de mais três crimes sexuais. Weinstein arrisca mais 18 a 24 anos de prisão

PUBLICIDADE

O tribunal de Los Angeles considerou Harvey Weinstein culpado em mais três acusações de agressão sexual, incluindo violação.

O antigo produtor de Hollywood, de 70 anos, que já cumpre uma pena de 23 anos de prisão após um julgamento por violação em Nova Iorque enfrenta agora de 18 a 24 anos adicionais de pena, o que significa que passará o resto da vida na prisão.

Foi há cinco anos que mulheres vítimas do produtor de Hollywood começaram a contar os crimes de que foram vítimas e iniciaram o movimento #MeToo. Weinstein foi acusado de assédio sexual, agressão ou violação por mais de 100 mulheres.

No veredicto desta segunda-feira, o júri absolveu-o de uma outra acusação e não conseguiu chegar a uma decisão unânime sobre três outras acusações.

O júri condenou Weinstein por violação de uma modelo italiana, identificada no julgamento como Jane Doe, no hotel Mr. C, em fevereiro de 2013.

A juíza Lisa B. Lench declarou o julgamento anulado das três acusações em que o júri se encontrava bloqueado. O Procurador-Geral, George Gascón, disse que o gabinete decidiria mais tarde se voltaria a julgar Weinstein por essas acusações.

Sentado na sala de audiências, Weinstein não mostrou qualquer reação à leitura do veredicto.

Numa declaração, Jane Doe agradeceu à acusação por "acreditar em mim e lutar tão duramente por todas as vítimas, incluindo eu, no julgamento", tendo declarado: "Harvey Weinstein destruiu para sempre uma parte de mim naquela noite em 2013 e eu nunca mais vou recuperar isso", disse, acrescentando: "O julgamento criminal foi brutal e os advogados de Weinstein fizeram-me passar por um inferno no banco das testemunhas, mas eu sabia que tinha de levar isto até ao fim, e fi-lo... Espero que Weinstein nunca veja o exterior de uma cela de prisão durante a sua vida".

Os advogados de Weinstein recusaram-se a comentar fora do tribunal, uma vez que o caso ainda está pendente. Não foi fixada qualquer data de sentença.

O antigo todo poderosos de Hollywood foi julgado em sete acusações: duas de violação forçada, duas de agressão sexual por restrição, duas de cópula oral forçada, e uma de penetração por um objeto estranho.

Weinstein tem estado confinado a uma cadeira de rodas e sofre de uma vasta gama de problemas médicos, incluindo diabetes, apneia do sono, problemas cardíacos e problemas oculares.

Entre as suas vítimas está Siebel Newsom, a esposa do governador da Califórnia, Gavin Newsom, que alegou que Weinstein a violou em 2005, depois de ter chegado para o que ela pensava ser uma reunião de negócios.

"Harvey Weinstein nunca poderá violar outra mulher", disse Siebel Newsom numa declaração. "Passará o resto da sua vida atrás das grades, onde pertence".

O governador Newsom emitiu uma declaração, dizendo que está "incrivelmente orgulhoso da mulher e de todas as mulheres corajosas que se apresentaram para partilhar a sua verdade e elevar incontáveis sobreviventes que não o podem fazer".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vin Diesel acusado de agressão sexual por antiga assistente

Ex-médico da equipa de ginástica dos EUA esfaqueado na prisão

Luis Rubiales vai a julgamento pelo beijo não consentido a Jenni Hermoso