EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Críticas russas ao que se passou em Makiivka

 Ataque em Makiivka
Ataque em Makiivka Direitos de autor AP/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor AP/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comentadores e analistas apontam falhas de planeamento e segurança

PUBLICIDADE

Moscovo admitiu que o ataque em Makiivka foi um dos mais mortíferos sofridos pela Rússia durante a guerra. O Kremlin diz que 63 soldados russos morreram no ataque a esta cidade na região de Donetsk. Fontes ucranianas falam em centenas de mortos.

Há relatos de que o local serviu de armazém para guardar munições, e isso pode explicar a dimensão dos danos

O ataque em Makiivka pode não ter sido a única "perda pesada" da Rússia nos últimos dias. O exército ucraniano afirma que centenas de pessoas morreram na região de Kherson.

O porta-voz do Estado-Maior General das Forças Armadas da Ucrânia afirmou que no dia 31 de dezembro, “os danos causados pelo fogo em mão-de-obra e equipamento militar do inimigo na área da colonização de Chulakivka, região de Kherson, foram confirmados por unidades das Forças de Defesa". “As perdas do inimigo ascenderam a cerca de 500 soldados, feridos ou mortos”, sublinhou Andrii Kovalev.

A região de Bakhmut, no leste da Ucrânia, continua a ser o local onde os combates são mais violentos. Esta terça-feira, os mísseis russos provocaram um incêndio numa zona de habitação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia recebe 2023 com sirenes antiaéreas

Stoltenberg pede a membros da NATO que reconsiderem limites no envio de armas para a Ucrânia

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa