Ucrânia e Ocidente criticam "cessar-fogo" russo

Access to the comments Comentários
De  Sasha Vakulina
Sasha Vakulina
Sasha Vakulina   -   Direitos de autor  Euronews

O Instituto para o Estudo da Guerra considera o cessar-fogo unilateral anunciado da Rússia durante o período do natal ortodoxo como uma uma operação destinada a prejudicar a reputação de Kiev. Vladimir Putin deu luz verde ao Ministro da Defesa para avançar com a pausa nos combates entre as 12 horas de 6 de janeiro até às 24 horas do dia 7, ao longo de "toda a linha de contacto com a Ucrânia.

Oficiais ucranianos e ocidentais denunciaram a hipocrisia deste anúncio. Lembraram que as forças russas  continuaram a atacar infra-estruturas militares e civis no dia 25 de Dezembro , quando muitos ucranianos celebravam o Natal.

Segundo o grupo de reflexão com sede nos Estados Unidos, Vladimir Putin poderá ter tentado assegurar uma pausa de 36 horas para as tropas russas descansarem, recuperarem e relançarem operações ofensivas em sectores críticos da frente; para prejudicar as forças ucranianas que não querem trabalhar em prol da paz e que querem lutar a todo o custo; ou para suprimir grupos religiosos e posicionar Putin como o verdadeiro protetor da fé cristã.

Neste contexto, a pausa beneficiaria de forma desproporcionada as tropas russas e começaria a privar a Ucrânia da iniciativa.

As forças ucranianas terão conduzido um contra-ataque bem-sucedido em torno de Bakhmut durante os últimos dias. Fontes russas rejeitaram esta informação e afirmaram que as suas tropas tinham avançado para nordeste e para sul de Bakhmut.

Novas imagens de satélite mostram o impacto dos combates em Bakhmut, revelando a destruição de edifícios, casas, infra-estruturas e campos dentro e perto desta cidade ucraniana.