China anuncia 60 mil mortes ligadas à Covid-19 desde levantamento de restrições

Access to the comments Comentários
De  Euronews
O número de mortes por Covid-19 está a disparar na China
O número de mortes por Covid-19 está a disparar na China   -   Direitos de autor  Mark Schiefelbein/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

Hospitais lotados e cada vez mais vítimas mortais: a Covid-19 não dá tréguas na China.

A Comissão Nacional Sanitária anunciou, este sábado, quase 60 mil mortes nos hospitais ligadas à pandemia desde o levantamento e alívio das restrições no país, há cerca de um mês.

"Um total de 59.938 [mortes] foi registado entre 8 de dezembro de 2022 e 12 de janeiro de 2023", avançou à imprensa o responsável da Comissão Nacional Sanitária da China, Jiao Yahui.

No entanto, as contas não incluem as mortes que aconteceram fora de instalações médicas. Na prática, significa que os números podem ser ainda mais negros.

Um estudo da Universidade de Pequim aponta para cerca de 900 milhões de infetados desde que o país aliviou as duras restrições, a 8 de dezembro. Alguns especialistas chineses acreditam que o pico de incidência durará até fevereiro ou março.

O alívio de restrições aconteceu na sequência de vários protestos em toda a China contra a "política de "zero casos de Covid-19", que levou o governo a pensar em formas de travar o descontentamento popular.