EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Mais sanções e armas europeias para ajudar a Ucrânia

Volodymyr Zelenskyy
Volodymyr Zelenskyy Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Volodymyr Zelensky pede entregas mais rápidas de armamento

PUBLICIDADE

O Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, chegou à Ucrânia para falar com o Presidente Volodymyr Zelenskyy sobre "medidas concretas" que a Europa pode tomar para apoiar o país.

Esta quarta-feira, no Fórum Económico Mundial, Zelenskyy voltou a pedir tanques modernos. O armamento de longo alcance tem ficado de fora dos planos dos aliados da Ucrânia para aumentar o apoio militar a Kiev.

"Não conseguimos apanhar o inimigo. Isso requer uma arma específica. Há uma lista de países que a têm e há uma lista específica do que nós precisamos. Querem ajudar? Ajudem. Não queremos diálogo. Apenas ajuda", afirmou o presidente ucraniano. 

Depois do encontro com Zelenskyy, Charles Michel  sublinhou os progressos podem ser feitos na frente de sanções à Rússia.

"Certamente que um 10º pacote de sanções será necessário e temos que ver quais os setores adicionais que podem ser abrangidos no futuro", defendeu o Presidente do Conselho Europeu.

Na Alemanha, o novo ministro da Defesa deu as boas-vindas ao secretário da Defesa dos Estados Unidos e respondeu a Zelenskyy.

"Os sistemas de armamento alemães entregues até agora na Ucrânia provaram o seu valor. Por exemplo, os howitzers, Gepard ou o sistema de defesa aérea Iris de última geração. Juntamente com os nossos parceiros, continuaremos a apoiar a Ucrânia na sua luta pela liberdade, independência territorial e soberania", garantiuBoris Pistorius.

Vários países têm anunciado um reforço da ajuda militar à Ucrânia. A Suécia vai enviar o sistema de artilharia Archer como parte do décimo pacote de ajuda.Nas redes sociais, a primeira ministra da Estónia escreveu que o governo vai enviar o maior pacote de ajuda de armas pesadas, o que significa que a ajuda militar total à Ucrânia representa mais de 1% do PIB do país.

Os aliados realizam nesta sexta-feira a primeira reunião do Grupo de Contato de Defesa Ucraniano, na Base Aérea alemã de Ramstein.

No início da semana, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que fornecer armas a Kiev para ataques em solo russo levaria o conflito para um nível diferente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo centro vai armazenar provas sobre crime de agressão russa

Zelenskyy assina acordo em Bruxelas antes de viajar para Lisboa esta terça-feira

Stoltenberg pede a membros da NATO que reconsiderem limites no envio de armas para a Ucrânia