Três sobreviventes resgatados 12 dias após os sismos e corpo de Atsu encontrado

Familiares de vítimas aguardam notícias em Adiyaman, Turquia, e foto de arquivo de Atsu
Familiares de vítimas aguardam notícias em Adiyaman, Turquia, e foto de arquivo de Atsu Direitos de autor AP Photo/Mehmet Mucahit Ceylan//Paulo Duarte (Arquivo)
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais de 290 horas depois dos terramotos, três pessoas resgatadas com vida, mas uma não resistiu já no hospital. FC Porto reagiu à morte de ex-jogador

PUBLICIDADE

Três pessoas foram resgatadas com vida este sábado dos escombros em Antáquia, 12 dias após os fortes sismos que destruíram partes do sul da Turquia e do norte da Síria. Uma delas, no entanto, um rapaz de 12 anos, que estava com os pais, viria a morrer já no hospital.

Foi, entretanto, encontrado o corpo do antigo futebolista do FC Porto Christian Atsu. O ganês, de 31 anos, que também representou o Chelsea e o Newcastle, em Inglaterra, alinhava agora no Hatayspor, da Liga turca. Estava desaparecido desde os sismos e as piores notícias foram agora confirmadas.

O cadáver de Atsu foi descoberto nas ruínas do prédio de 12 andares, onde se localizava o apartamento do jogador.

O FC Porto reagiu pelas redes sociais. "É com profundo pesar que recebemos a notícia da morte do Christian Atsu, um dos nossos campeões de 2013. Que descanse em paz. À família e amigos, enviamos as mais sentidas condolências, mensagem que estendemos a todas as vítimas do sismo da Turquia e Síria", publicou o clube português.

Os últimos balanços feitos por várias entidades apontam para mais de 45 mil mortos, em resultado da série de sismos do passado dia 6 de fevereiro e que provocou uma tragédia ainda por conhecer na total extensão de vítimas de danos.

Um dos mais de 39 mortos confirmados só na Turquia é agora a criança resgatada ainda viva este sábado, junto do pai, de 49 anos, e da mãe, de 40.

O rapaz de 12 anos sobreviveu mais de 290 horas sob os escombros, mas viria a morrer no hospital.

As operações de busca prosseguem, cada vez com menos esperança de encontrar sobreviventes, mas ainda à espera de mais milagres.

As autoridades turcas prosseguem as detenções de diversos empreiteiros, responsabilizados pelas alegadas más construções que agravaram ainda mais os danos provocados pelos terramotos no sul da Turquia.

De acordo com a agência turca Anadolu, há mais de 400 suspeitos e mais de 120 detenções foram já efetuadas relacionadas com prédios destruídos pelos terramotos no centro de Kahramanmaras, uma das localidades mais próximas de um dos sismos mais potentes, de 7.8 de magnitude, registados a 6 de fevereiro.

Outras fontes • AFP, AP, Anadolu

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Na destruição de Antáquia cruzámo-nos com o otimista Serkan Sinkan

Turquia: Resgates de sobreviventes dez dias depois dos sismos

França cria hospital de campanha na Turquia para vítimas dos sismos