Candidato do partido no poder vence presidenciais da Nigéria

Bola Tinubu
Bola Tinubu Direitos de autor Ben Curtis/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bola Tinubu foi declarado vencedor das eleições de sábado

PUBLICIDADE

Os nigerianos votaram na continuidade política. Bola Tinubu, o candidato do partido no poder, foi declarado vencedor das presidenciais de sábado. Tinubu era o favorito, mas perdeu popularidade durante a campanha. 

Segundo os resultados anunciados na televisão, Tinubu obteve 8,79 milhões de votos (37%), Atiku Abubakar ficou em segundo lugar, com 6,98 milhões de votos (29%), e Peter Obi, na terceira posição, teve 6,1 milhões (25%). 

O presidente eleito agradeceu aos seus apoiantes na capital, Abuja, e dirigiu uma mensagem aos adversários políticos.

"Aproveito esta oportunidade para apelar aos meus colegas para que nos deixem formar uma equipa", disse Tinubu. "É a única nação que temos". É um país e temos de construir juntos".

Bola Tinubu sucede a Muhammadu Buhari, que não pôde candidatar-se à reeleição após dois mandatos consecutivos.

Grandes desafios aguardam o novo presidente. O país enfrenta uma crise económica, pobreza e a violência de grupos jihadistas. A Nigéria continua a ser a maior economia de África e o país mais populoso do continente, com 216 milhões de pessoas.

Oposição aponta irregularidades

Os dois principais candidatos da oposição já exigirem a anulação das eleições, considerando que os atrasos na contagem dos resultados tinham dado lugar a irregularidades. Abubakar também terminou em segundo lugar na última votação, em 2019, tendo depois recorrido desses resultados antes do processo ser arquivado.

O partido de Tinubu, "All Progressives Congress", instou a oposição a aceitar a derrota e a não causar problemas.

Os partidos têm agora três semanas para recorrer dos resultados, mas uma eleição só pode ser invalidada se se provar que o órgão eleitoral nacional  não seguiu a lei e agiu de formas que poderiam ter alterado o resultado. O Supremo Tribunal da Nigéria nunca anulou uma eleição presidencial.

A eleição presidencial da Nigéria tem sido acompanhada de perto, uma vez que o país não só é a maior economia do continente, como também é um dos principais produtores de petróleo do continente.

Os observadores afirmaram que as eleições de sábado foram na sua maioria pacíficas, embora os atrasos tenham feito com que alguns eleitores esperassem até ao dia seguinte para votarem.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições presidenciais na Nigéria marcadas por atrasos

Eleição presidencial na Nigéria este sábado

Drama dos raptos na Nigéria recriados por escultora