EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Uma "farmácia para a alma"

Biblioteca de Irpin
Biblioteca de Irpin Direitos de autor Image Valérie Gauriat
Direitos de autor Image Valérie Gauriat
De  Valérie Gauriat
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Biblioteca de Irpin é um dos símbolos da resistência e resiliência da Ucrânia

PUBLICIDADE

A cidade de Irpin, a porta de entrada para a capital ucraniana, sofreu as consequências de resistir à ofensiva russa na região de Kiev.

A biblioteca é um dos símbolos da resiliência do país. Foi alvo dos ataques durante a ocupação, depois foi  restaurada, e nas semanas que se seguiram à libertação tornou-se um refúgio. Agora é utilizada como um espaço de trabalho e de reuniões.

Olena Tsyganenko, a diretora da biblioteca, lembra que tudo é gratuito: o acesso à Internet, o espaço, a luz e o aquecimento.

Albina Basova vive em Irpin e todos os dias frequenta o espaço. _"_Com o difícil acesso à eletricidade, preciso de um local para carregar o meu computador e ligar-me à Internet. Quero trabalhar todos os dias. Ganho dinheiro e gasto-o na Ucrânia. Também faço donativos para o exército. Faz parte da resistência", conta Albina.

A resistência também passa pela cultura. Para Olena, a biblioteca é o centro espiritual da comunidade e um espaço de ajuda psicológica. “É uma biblio-terapia; alguém pega num livro, distrai-se, aprende algo novo. Algumas pessoas estudam. E agora todos os livros russos foram retirados das prateleiras. A literatura ucraniana está qui para aprendermos a nossa história, a nossa arte, a nossa cultura, a nossa espiritualidade”, explica.

Reuniões de negócios, workshops profissionais, projetos para crianças e sessões de aconselhamento são algumas das atividades que a biblioteca pode organizar. Para Olena, a biblioteca é um templo do conhecimento e uma "farmácia para a alma". “Organizamos minutos de silêncio, e dizemos glória à Ucrânia, glória aos heróis! Este é o grito das nossas almas, das nossas almas ucranianas”, sublinha a diretora da biblioteca.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucranianos anseiam por voltar para casa

Guerra na Ucrânia: últimos residentes de Irpin abandonam a cidade

Ainda há quem resista à guerra e ao frio na bombardeada Irpin