This content is not available in your region

Ucranianos anseiam por voltar para casa

Access to the comments Comentários
De  euronews
 Anastasia e Roman Akulenko vivem em Irpin
Anastasia e Roman Akulenko vivem em Irpin   -   Direitos de autor  Euronews   -  

Há três anos, entrevistámos o casal Anastasia e Roman Akulenko por ocasião das eleições presidenciais na Ucrânia.

Estavam longe de pensar que o país acabaria por ser invadido pela Rússia e que a sua casa, em Irpin, nos arredores de Kiev, acabaria destruída pelos bombardeamentos.

Logo no início da invasão, em fevereiro e março deste ano, a família foi obrigada a fugir para o campo.

Mais tarde, Anastasia e as filhas foram para a Polónia. A família reuniu-se, novamente, na Ucrânia no final do verão, mas as meninas nunca viram o que aconteceu com o apartamento. Para os progenitores, voltar ao local é relembrar dias difíceis.

"Foi muito assustador. O meu marido estava na varanda e os aviões de guerra passaram por cima da sua cabeça. Ele pensou que os foguetes tinham sido lançados em nossa direção e gritou 'para o chão' e todos nós caímos e depois escondemo-nos na casa de banho. Foi onde nos vestimos. Depois fomos para a cave. Desde então, as crianças não quiseram subir. Passámos a noite na cave e de manhã, assim que o toque de recolher acabou, metemo-nos na estrada”, recorda Anastasia.

O prédio foi evacuado por voluntários, numa missão muito arriscada, algumas semanas depois.

Depois do prédio ter sido atingido por um míssil, um incêndio quase devorou o que restou do edifício, no entanto Anastasia e Roman tentam ser otimistas e acreditam que esta é uma oportunidade para fazerem melhorias...

Anastasia conta que “as temperaturas estavam tão elevadas que, aqui no quinto andar, as construções metálicas que seguravam as prateleiras, a televisão na parede, a mesa do computador, as roupas sintéticas derreteram." A ucraniana diz, no entanto, que têm já planos para a reconstrução e "corrigir nossos erros do passado", mas "o mais importante é que a guerra termine. E então tudo será melhor.”

“Sim, estamos ansiosos por isso”, conclui Roman.

A reconstrução do prédio não poderá começar antes do próximo ano... Para aguentar as agruras do inverno que se aproxima, o telhado foi coberto por uma lona...

O casal Akulenko espera que o inverno não traga apenas o tempo frio, mas traga também a vitória da Ucrânia e que as forças da Rússia saiam de vez do país.

Os Akulenkos esperam um dia voltar para este apartamento e torná-lo de novo o seu lar.