Presidente da Ucrânia pondera mudar o nome da Rússia para "Moscóvia"

Zelenskyy honra unidade militar ucraniana à passagem de um ano sobre a invasão russa
Zelenskyy honra unidade militar ucraniana à passagem de um ano sobre a invasão russa Direitos de autor AP/Ukrainian Presidential Press Office
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Petição em página oficial ucraniana ultrapassa as necessárias 25 mil assinaturas e o Presidente compromete-se a analisar a possibilidade. Kremlin já reagiu

PUBLICIDADE

O presidente da Ucrânia mandou analisar uma petição digital com mais 25 mil assinaturas que lhe foi dirigida com o intuito de mudar unilateralmente a designação da Rússia para "Moscóvia", de russo para "moscovita" e a da Federação Russa para "Federação de Moscovo".

A petição foi lançada em novembro de ano passado por Oleksandrivna Shakhvorostova, na página oficial das petições eletrónicas ao Presidente da Ucrânia, e, após ultrapassar o limite mínimo obrigatória das 25 mil assinaturas para ser analisada, recebeu na sexta-feira (10 de março) a resposta de Zelenskyy.

A autora da petição sublinha que "a Rússia existe apenas há 301 anos", referindo-se à alegada fundação do império russo em 1721 pelo czar Peter I, depois imperador.

Moscóvia "foi um nome usado na Europa e em algumas línguas asiáticas". "Muitos mapas históricos dos séculos XVI e XIX, feitos na Europa antes e depois da renomeação do reino de Moscovo para Império Russo, também apresentavam esse nome", argumentou Oleksandrivna Shakhvorostova.

"A questão levantada na petição requer uma consideração cuidadosa no seu desenvolvimento, tanto no plano dos contextos histórico e cultural, quanto às possíveis consequências jurídicas internacionais", alertou o presidente ucraniano, recordando os códigos dos países e regiões definidos pelas Nações Unidas, referidos na resposta à petição como "padrão M49".

Zelenskyy entende, por isso, haver a possibilidade de "consequências jurídicas internacionais" caso a Ucrâna adote essa mudança de designações em relação ao país vizinho que atualmente ocupa pela força militar parte do território ucraniano. Assim, o processo vai prosseguir nas mãos de Denys Shmyhal.

"Enderecei ao primeiro-ministro da Ucrânia um pedido para o tratamento integral, nomeadamente com o envolvimento de instituições científicas,m mantendo-me ao corrente dos resultados assim como ao autor da petição", escreveu Volodymyr Zelenskyy na página oficial das petições eletrónicas ao Presidente da Ucrânia.

Do lado moscovita, o atual vice-presidente do Conselho de Segurança da Federação Russa e ex-presidente russo, Dmitry Medvedev, reiterou a designação de Zelenskyy como um líder nazi e sugeriu que a Ucrânia passasse a ser apelidada como "Schweinisch Bandera-Reich", algo como o "império porco de Bandera", numa referência ao controverso nacionalista ucraniano antissoviético dos anos 40, Stepan Bandera.

A porta-voz do Ministério russo dos Negócios Estrangeiros, Maria Zakharova, disse que o facto de Zelenskyy ter dado seguimento à petição, delegando o assunto no primeiro-ministro Deny Shmyhal, trata-se de mais “uma evidência da tentativa da Ucrânia de criar um ambiente anti-Rússia".

Outras fontes • Unain, Tass, Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia precipitou-se no anúncio sobre exportação de cereais pelo Mar Negro

Presidente Zelenskyy promete vingar execução de soldado ucraniano desarmado

Sangue derramado em Bakhmut tem um "valor político" para Rússia e Ucrânia