EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Bolsas europeias reagem em baixa a compra do Credit Suisse

Christine Lagarde, Presidente do Banco Central Europeu (BCE)
Christine Lagarde, Presidente do Banco Central Europeu (BCE) Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews com LUSA
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mercados ainda temem crise financeira. Seis dos bancos centrais mais poderosos do mundo vão realizar ação coordenada para injetar liquidez.

PUBLICIDADE

Mesmo após um resgate à beira da falência, os mercados financeiros parecem pouco convencidos com a compra do Credit Suisse pelo grupo UBS. A aquisição do banco suíço não dissipou os receios de uma nova crise financeira intrnacional e esta segunda-feira, as principais bolsas europeias abriram em baixa.

O UBS comprou o Credit Suisse por três mil milhões de euros, depois de o banco suíço ter registado uma perda superior a 25% do seu valor em bolsa, na última semana.

Mas a reação pouco entusiasta dos mercados surge mesmo depois de o governo suíço ter oferecido garantias para o negócio, com o objetivo de evitar o contágio da falência à banca mundial e recuperar a confinaça no sistema financeiro, depois do colapso do Silicon Valley Bank, anunciado há cerca de uma semana.  

Bancos centrais anunciam injeção de liquidez

A operação levou no entanto seis dos principais bancos centrais do mundo a anunciar uma ação coordenada para melhorar o **acesso à liquidez,**horas depois de o UBS ter efetuado a aquisição. 

A medida, acordada entre os bancos centrais europeu da Suíça, Inglaterra, Japão, Canadá e a Reserva Federal dos Estados Unidos, entra em vigor esta segunda-feira e deverá estender-se até ao final de abril.

As instituições bancárias vão reforçar as "linhas de 'swap'", o mecanismo facilita o acesso ao dólar por parte dos bancos centrais estrangeiros, que vão passar a fazer transações em dólares todos os dias, quando antes eram feitas uma vez por semana.

Presidente do BCE saúda "ação rápida"

O acordo, assinado pelo Banco Central Europeu (BCE), o Banco Nacional Suíço (SNB), o Banco de Inglaterra, o Banco do Canadá, o Banco do Japão, e a Reserva Federal dos EUA, já foi congratulado pela presidente do Banco Central Europeu (BCE). Christine Lagarde, saudou este domingo, a “ação rápida e as decisões tomadas pelas autoridades suíças" em relação ao banco Credit Suisse.

“Elas são fundamentais para restaurar a ordem nas condições do mercado e assegurar a estabilidade financeira”, afirmou a presidente numa declaração, disponível na página do BCE.

No depoimento, Christine Lagarde salienta ainda que o setor bancário da zona euro é resiliente, com fortes posições de capital e liquidez.

E acrescenta: “Em qualquer caso, o nosso conjunto de ferramentas políticas está totalmente equipado para fornecer apoio de liquidez ao sistema financeiro da zona euro, se necessário, e para preservar a transmissão harmoniosa da política monetária".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UBS conclui compra do Credit Suisse

Bolsas europeias arrastadas pelo Credit Suisse

Credit Suisse cai quase 23% em bolsa