EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

E o vencedor é? Partido político austríaco "engana-se" ao anunciar vencedor

Hans Peter Doskozil foi declarado vencedor antes da correção.
Hans Peter Doskozil foi declarado vencedor antes da correção. Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Um erro numa folha de cálculo levou os social-democratas a anunciar o vencedor errado na batalha eleitoral para a liderança no fim-de-semana.

PUBLICIDADE

Os social-democratas austríacos têm, finalmente, um novo líder, depois de uma votação no fim-de-semana e de um erro de contagem os ter levado a anunciar primeiro o vencedor errado.

Andreas Babler, o autarca da cidade de Traiskirchen, nos arredores de Viena, mediu forças com Hans Peter Doskozil, governador da província de Burgenland, no sudeste do país, na batalha de sábado para a liderança do partido.

Doskozil é uma figura mais conhecida do público austríaco e, na convenção do partido do fim-de-semana, acabou por ser anunciado vencedor por pouco.

No entanto, na segunda-feira, o chefe da comissão eleitoral do partido anunciou que o vencedor foi, afinal, Babler e não Doskozil, por uma margem de 317 votos contra 280 do rival.

Como é que o erro foi descoberto?

Na segunda-feira houve uma recontagem dos votos depois de os dirigentes do partido descobrirem que faltava um voto do total original.

Durante o processo, descobriram que o resultado de sábado tinha sido "invertido" devido a um erro que ocorreu quando os votos foram inseridos numa folha de cálculo.

Babler disse que pediria que os votos fossem verificados novamente. “É muito importante que não haja mais pontos de interrogação, para que possamos seguir em frente com certeza”, disse ao jornal Kurier.

O político de 50 anos pediu desculpas pela impressão que o seu partido deixou nas últimas semanas e prometeu trabalhar para um “regresso completo da social-democracia.”

Babler está à esquerda de Doskozil em questões como a migração. Traiskirchen, onde é autarca, abriga o maior centro de acolhimento de refugiados da Áustria.

Os social-democratas lideraram muitos dos governos austríacos pós-Segunda Guerra Mundial, mas estiveram no governo pela última vez em 2017. Nas últimas eleições legislativas na Áustria, em 2019, obtiveram 21,2% dos votos - muito atrás do conservador Partido Popular Austríaco, que atualmente governa em coligação com os Verdes.

Estão em segundo lugar nas sondagens, atrás do Partido da Liberdade da Áustria, de extrema-direita, que beneficiou da frustração dos eleitores com o aumento da inflação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rebenta na Áustria o maior escândalo de espionagem das últimas décadas

Milhares de pessoas manifestam-se contra a extrema-direita na Áustria

Áustria quer retirar sem-abrigo das ruas com modelo finlandês