Escalada da vioência na Cisjordânia: terrenos agrícolas incendiados

Campos agrícolas incendiados na Cisjordânia
Campos agrícolas incendiados na Cisjordânia Direitos de autor Fatima Shbair/Copyright 2023, The AP. All rights reserved
Direitos de autor Fatima Shbair/Copyright 2023, The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ataques em Israel e na Cisjordânia marcaram os últimos dias. A escalada da violência do conflito israelo-palestiniano já fez mais de 150 mortos desde o início do ano.

PUBLICIDADE

Na Cisjordânia, foram incendiados terrenos agrícolas perto da cidade de Huwara. Os residentes palestinianos afirmam que foram cerca de 100 colonos judeus que atearam o fogo. A este ataque seguiram-se outros na terça-feira à noite na mesma região.

Aparentemente, repetiu-se a sequência de acontecimentos que se seguiu a um ataque palestiniano em fevereiro, que custou a vida a dois israelitas na zona.

Antes dos incêndios tinha decorrido, em Israel, o funeral do jovem de 21 anos, morto a tiro por um suspeito atirador palestiniano.

O jovem e três outras pessoas foram mortos por um suposto atacante palestiniano que abriu fogo numa estação de serviço perto de um colonato israelita na Cisjordânia.

As forças de segurança israelitas dizem ter matado um agressor palestiniano que mais tarde fugiu do local do tiroteio.

O ataque sublinha a fragilidade da situação na Cisjordânia, onde, na segunda-feira, uma incursão militar israelita no campo de refugiados de Jenin, desencadeou alguns dos mais ferozes combates israelo-palestinianos dos últimos anos.

Os militantes palestinianos bombardearam veículos militares israelitas e as forças israelitas enviaram helicópteros para evacuar as tropas retidas.

A crescente violência dos últimos meses já matou mais de 130 palestinianos e 25 israelitas, desde o início do ano.

As forças armadas israelitas afirmaram estar a enviar reforços para a Cisjordânia e o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, prometeu "ajustar contas com os assassinos".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um morto e um ferido em ataque na Cisjordânia ocupada

Ataque na Cisjordânia provoca três feridos

Chefe dos serviços secretos militares israelitas demite-se por não ter evitado ataque do Hamas