Aumenta o número de vítimas do ataque russo a Lviv

Imagem da destruição provocada por um míssil russo na cidade ucraniana de Lviv
Imagem da destruição provocada por um míssil russo na cidade ucraniana de Lviv Direitos de autor Mykola Tys/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Mykola Tys/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As equipas de resgate encontraram mais corpos entre os escombros dos apartamentos destruídos pelos mísseis russos na cidade de Lviv.

PUBLICIDADE

Subiu para dez o número de vítimas mortais do ataque em Liv, na quinta-feira. 

Segundo o presidente da câmara da cidade, cerca de 60 apartamentos e 50 carros na zona do ataque ficaram danificados.

Andriy Sadovyi disse que o telhado e o último andar do edifício foram destruídos naquilo a que chamou o "maior ataque da guerra contra infraestruturas civis" na cidade situada a apenas 25 quilómetros da fronteira com a NATO e com o Estado-membro da UE, a Polónia.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, publicou imagens de um drone que mostram, a partir de cima, os edifícios destruídos e garantiu: "Haverá definitivamente uma resposta ao inimigo. Será uma resposta tangível".

Centenas de milhares de refugiados de guerra ucranianos procuraram segurança em Lviv, vindos de outras zonas a leste.

Embora Lviv esteja localizada no oeste da Ucrânia, relativamente longe das linhas da frente, situadas no sul e no leste da Ucrânia, também já foi alvo de ataques russos.

No mês passado, as autoridades da cidade informaram que uma infraestrutura crítica tinha sido atingida por um ataque de drones.

A força aérea ucraniana acusou a Rússia de ter lançado os mísseis a partir do Mar Negro.

Terão sido lançados dez mísseis. As forças armadas ucranianas afirmaram no Telegram que "sete dos dez mísseis de cruzeiro Kalibr" foram abatidos. Segundo a mesma fonte, os mísseis dirigiam-se inicialmente para norte, mas depois "mudaram abruptamente de rota" para oeste e atingiram Lviv.

Sem mencionar Lviv, a Rússia admitiu ter disparado vários mísseis marítimos, mas diz que atingiram bases do exército e depósitos de material militar ocidental.  

Há meses que a Rússia tem vindo a efetuar ataques mortais com mísseis e drones contra cidades ucranianas, atingindo frequentemente alvos civis e infraestruturas críticas.

Na semana passada, 13 pessoas morreram - incluindo crianças - quando um restaurante e um centro comercial foram atingidos em Kramatorsk, uma cidade do leste, nas proximidades de zonas da Ucrânia ocupadas pela Rússia.

As forças russas têm atingido repetidamente zonas civis, embora Moscovo diga que são apenas escolhidos alvos de valor militar.

A embaixadora dos EUA na Ucrânia descreveu o ataque como cruel. "Os repetidos ataques da Rússia contra civis são absolutamente horríveis", declarou Bridget Brink no Twitter.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estados Unidos confirmam fornecimento de bombas de fragmentação à Ucrânia

Ataques russos na Ucrânia fazem pelo menos oito mortos

Ucrânia diz ter abatido bombardeiro russo de longo alcance