EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

O futuro incerto da Barreira do Tamisa

A Barreira do Tamisa foi instalada em 1982
A Barreira do Tamisa foi instalada em 1982 Direitos de autor Euronews.
Direitos de autor Euronews.
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Face à velocidade das alterações climáticas questiona-se a eficácia a longo prazo da infraestrutura.

PUBLICIDADE

Perante as alterações climáticas, a Barreira do Tamisa manteve-se como um símbolo de resiliência, protegendo Londres das tempestades.

Quando foi instalada em 1982, os engenheiros por trás da sua construção não poderiam ter antecipado a velocidade das alterações climáticas. Agora questiona-se a eficácia a longo prazo da barreira.

"Uma forte tempestade no mar do norte pode facilmente colocar-nos diante de sérios desafios", diz o ativista climático Steve Lawrence.

Steve Lawrence, que é também arquiteto, preocupa-se com o facto de não terem sido tomadas medidas suficientes para aliviar a pressão sobre a barreira.

“Acho que o governo precisa de estar atento porque esta é uma questão realmente séria. É o nosso último recurso e se houver algum tipo de problema, 129 quilómetros quadrados do centro de Londres podem ser inundados.”

A barreira foi projetada para fechar ocasionalmente quando há tempestades, mas a frequência de ativação da barreira tem aumentado rapidamente nos últimos anos.

Isto pressiona a agência ambiental do Reino Unido a atualizar um plano para atender à necessidade de aumentar a defesa contra as marés a montante da barreira até 2050, 15 anos antes do esperado.

Mas alguns argumentam que o facto de a barreira estar a fechar com mais regularidade pode representar um desafio para a sua manutenção e eficácia geral.

“Especialistas já expressaram preocupação de que o cronograma para a tomada de decisões sobre o futuro da barreira do Tamisa é muito lento. O nível do mar, de acordo com as evidências, está a subir muito mais rapidamente do que o inicialmente previsto quando esta barreira foi construída. E a probabilidade de eventos climáticos extremos também aumentou”, realça o correspondente da Euronews em Londres, Luke Hanrahan.

“Fecha com muito mais frequência do que o inicialmente previsto“, realça Wouter Buytaert, professor de Hidrologia e de Gestão dos Recursos Hídricos no Imperial College London.

“A mudança climática está no extremo oposto do que os cientistas esperavam na época em que os estudos foram feitos e alimentaram o projeto da barreira do Tamisa. Isso significa que precisamos mudar um pouco e levar em consideração esses cenários mais extremos", defende Buytaert.

A agência ambiental diz que o seu plano atual é adaptável, levando em consideração uma série de possíveis futuros climáticos.

Uma decisão final será tomada até 2040 para garantir que uma barreira do Tamisa atualizada ou nova possa ser construída e operacional a tempo para 2070.

Mas alguns sugerem, dada a velocidade das alterações climáticas, que devem ser tomadas medidas mais cedo, para evitar que a tempestade perfeita inunde Londres.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido

William apareceu sem Kate na "Garden Party" de verão do Palácio de Buckingham

Jovem de 13 anos morre após ataque com espada em Londres