Chuvas torrenciais e inundações mortíferas no sul da Bulgária

Engenheiro inspeciona ponte danificada em Burgas, na Bulgária
Engenheiro inspeciona ponte danificada em Burgas, na Bulgária Direitos de autor NIKOLAY DOYCHINOV/AFP or licensors
Direitos de autor NIKOLAY DOYCHINOV/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As inundações na costa sul da Bulgária fizeram quatro vítimas mortais. O fenómeno meteorológico foi descrito como um "pesadelo".

PUBLICIDADE

A Bulgária, a Grécia e a Turquia foram atingidas por chuvas torrenciais, que provocaram inundações em vastas áreas. 

Na Bulgária, a costa sul foi a mais fustigada. Os residentes relatam momentos dramáticos.

"As pessoas estavam assustadas. Havia uma mulher no acampamento com crianças pequenas e ela disse que na caravana onde estavam a água dava-lhes pela cintura e teve de segurar as crianças ao colo. Foram levados para o nosso hotel porque não tinham para onde ir", conta Zapren Filchev. 

"Durante toda a noite, no restaurante, montámos um ponto de apoio, para o que pudesse ser salvo. Havia crianças, cobertores, bagagens, um verdadeiro campo de refugiados", diz o doutor Petar Petrov.

Mais de mil pessoas ficaram retidas pelas águas, mas o tráfego já foi restaurado.

"Se estivéssemos a dormir, estaríamos todos no mar. Estávamos sentados em trajes de banho, em cuecas, nus. Agora estamos a tentar salvar tudo o que podemos".

O primeiro-ministro búlgaro prometeu apoio financeiro às vítimas das inundações na costa do Mar Negro.

"Até 1512 leves (a moeda búlgara) serão concedidos para residências e instalações danificadas. Há um outro montante - até 2500 leves - para equipamentos danificados. Isto equivale a mais de 2500 euros de ajuda para os edifícios onde a vida normal tem de ser retomada", anunciou Nikolay Denkov.

A Cruz Vermelha búlgara, por seu turno, está a fornecer alimentos enlatados e pacotes de água para as vítimas. 

 "Os deslocados foram acomodados em hotéis particulares e, em pequenos municípios como Kosti, os autarcas conseguiram fornecer logística e apoio às famílias em perigo, diz  Violeta Radeva, chefe da Cruz Vermelha búlgara

Um outro elemento da equipa da Cruz Vermelha refere: "Temos psicólogos de todo o país, uma equipa profissional de psicólogos treinada para este tipo de situações,  pronta para vir para o terreno".

Os danos materiais ainda estão a ser avaliados, mas é provável que ascendam a dezenas de milhões de leves.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Várias zonas do norte da Europa continuam inundadas desde as últimas chuvas fortes

Milhares de casas inundadas no Cazaquistão

Rússia e Cazaquistão vivem "piores cheias em décadas"