EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

"Eleições" organizadas pela Rússia sob lei marcial

A votação antecipada nas regiões ucranianas ocupadas pela Rússia começou no final de agosto
A votação antecipada nas regiões ucranianas ocupadas pela Rússia começou no final de agosto Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em russo

Moscovo tenta legitimar presença com "eleições" organizadas sob regime de lei marcial nos territórios ocupados na Ucrânia

PUBLICIDADE

No outono do ano passado, Moscovo introduziu a lei marcial nas quatro regiões ucranianas que ocupa ilegalmente, poucos dias depois de decretar a anexação.

A legislação que permite a realização de eleições nas regiões sob lei marcial, foi assinada pelo Presidente russo Vladimir Putin em maio.

Os líderes nomeados pelo Kremlin para o comando nessas regiões podem fazer alterações à organização das supostas "eleições", como por exemplo realizar a votação em assembleias de voto fora da região, na Rússia.

Dmitry Oreshkin, cientista político russo: _"Em geral, as eleições na Rússia de Putin são um procedimento ritual. As eleições, enquanto mecanismo de mudança de poder, já não se podem chamar eleições._O seu significado é o seguinte: o primeiro é a propaganda, quando é necessário demonstrar a todo o mundo que a situação está sob controlo, que existe um apoio de massas a nível nacional. O segundo é o significado ritual. É muito importante, para uma parte significativa do eleitorado de Putin, uma imagem de que tudo está sob controlo. E, em terceiro lugar, trata-se de um teste à eficácia dos líderes regionais. O processo não tem nada a ver com democracia."

Jornalistas russos independentes descobriram que cerca de 70% dos candidatos que participam nas supostas "eleições" organizadas por Moscovo são residentes das regiões ocupadas. 

Tal como aconteceu com o contestado "referendo" que conduziu à anexação da Crimeia em 2014, estima-se que a possibilidade de candidaturas e votos sob coação é bastante elevada.

Oleksiy Haran, professor de Política Comparada, Universidade de Kiev:"As Convenções de Genebra, nas quais a Rússia também participa formalmente, proíbem categoricamente a realização de quaisquer eleições pelo agressor nos territórios ocupados. Para nós, essas eleições não existem. Nem para toda a comunidade internacional. Isto é um espetáculo de propaganda."

O Ocidente não reconheceu os resultados dos supostos "referendos" de incorporação das regiões de Lugansk, Donetsk, Kherson e Zaporíjia na Rússia e condenou as ações de Moscovo. 

O presidente ucraniano assinou um decreto que declara nulos e sem efeito todos os actos legislativos russos nos territórios ucranianos ocupados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin decreta lei marcial nas quatro regiões anexadas na Ucrânia

Avanço das tropas russas: cidadãos fogem de Ocheretyne. Moscovo abate mísseis ATACMS

ISW: Ucrânia conseguiu reduzir significativamente as atividades da Rússia no Mar Negro