EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Covid-19 está de volta e governo português apela à vacinação

Uma mulher aguarda num centro de vacinação anticovid em Lisboa
Uma mulher aguarda num centro de vacinação anticovid em Lisboa Direitos de autor AP Photo/Armando França, Arquivo
Direitos de autor AP Photo/Armando França, Arquivo
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Infeções pelo SARS-CoV-2 estão a agravar-se na Europa e em Espanha a venda de testes anticovid subiu em flecha no final de agosto

PUBLICIDADE

Os casos de Covid-19 estão de novo a aumentar na Europa, mas em Portugal o governo entende não ser ainda necessário tomar medidas excecionais para travar a propagação do vírus.

Os casos de Covid-19 registaram um agravamento sobretudo na segunda metade de agosto, com um pico no final do mês forte das férias, quando num só dia houve o registo de mil infetados. 

O Governo garante estar a acompanhar a situação e o ministro da Saúde apelou à dupla vacinação contra a Covid-19 e a gripe.

"Devo dizer que a principal medida que está em cima da mesa e que é muito importante alertar os portugueses é a campanha de vacinação, que vai começar dia 29 de setembro", afirmou o ministro Manuel Pizarro.

O que nós queremos é que todas e todos os portugueses com mais de 60 anos se vão vacinar contra a covid-19 e contra a gripe.
Manuel Pizarro
Ministro da Saúde de Portugal

Em Espanha, onde o primeiro-ministro Pedro Sánchez contraiu a infeção pelo SARS-CoV-2 e por isso não pôde deslocar-se à cimeira do G20, os dados da rede de vigilância para a Covid-19 sugerem que os contágios se estão a agravar devido ao aumento da interação social e do surgimento de novas variantes.

Um estudo, abrangendo 6.500 farmácias, estima um aumento de 556% na procura de testes antigénio para detetar a Covid-19 no final de agosto, por comparação com o ocorrido no início de junho.

"Agora, já percebemos que temos de pedir mais. antes vendíamos três por dia e agora são 18", explicou à TVE a farmacêutica Ana Albertos.

O aumento da venda de testes sentiu-se sobretudo na Extremadura, com 21.570 unidades, o que representa um aumento regional de 1.265% face às vendas de final de junho. Onde a venda de testes menos se fez sentir em Espanha foi nas Canárias, ainda assim com um aumento de 91%.

Nas últimas semanas, muitas pessoas têm procurado os centros de saúde espanhóis com sintomas habituais da infeção pelo vírus SARS-CoV-2, como febre, tosse, congestão ou fadiga.

Este agravamento ibérico da Covid-19 coincide com o recente alerta da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o agravamento das hospitalizações por toda a Europa devido a um ressurgimento de infeções pelas variantes do SARS-CoV-2.

Outras fontes • Lusa, TVE

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Covid longa afeta milhares de pessoas em Inglaterra

Ilha de Menorca: aldeia de Binibeca Vell com horário restrito de visitas durante o verão

Reconhecimento do Estado palestiniano é apenas um "pequeno passo", dizem espanhóis