EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Hospitais de Gaza sob pressão

Hospital em Gaza
Hospital em Gaza Direitos de autor Ali Mahmoud/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Ali Mahmoud/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ministério da Saúde diz que 60% dos mortos e feridos são mulheres e crianças.

PUBLICIDADE

Já não há lugar para os corpos na morgue no hospital Al-Shifa, o principal centro médico de Gaza. As ambulâncias não conseguem chegar até aos feridos, e nos cuidados intensivos não há mais camas para acomodar as pessoas em estado crítico.

"Enquanto tripulantes de ambulância, enfrentamos um grande desafio: a nossa incapacidade de transportar doentes por causa dos bombardeamentos contínuos. Até agora, foram mortos quatro  funcionários de ambulâncias. O primeiro ataque aconteceu no norte de Gaza e o segundo aconteceu hoje, no leste da cidade . Apesar da luz verde da Cruz Vermelha para retirar as pessoas, fomos surpreendidos pelo fogo de um atirador israelita", revelouBashar Murad, diretor do Crescente Vermelho.

O Ministério da Saúde de Gaza diz que 60% dos mortos e feridos são mulheres e crianças. Israel ordenou a retirada imediata antes da operação terrestre. Depois, repetiram-se os apelos à criação de corredores humanitários para que sejam possíveis vias de fuga seguras.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo ataque em Rafah faz 37 mortos. Casa Branca diz que Israel ainda não passou linhas vermelhas

Tanques israelitas avançam pelo centro de Rafah pela primeira vez

Pelo menos 50 mortos após ataques aéreos israelitas em Rafah