EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Negociações de adesão à UE são prioridade de Kiev

AP
AP Direitos de autor Kay Nietfeld/(c) Copyright 2023, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Direitos de autor Kay Nietfeld/(c) Copyright 2023, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Zelensky frisa que abertura de negociações com vista à adesão da Ucrânia à União Europeia é uma das principais prioridades de Kiev

PUBLICIDADE

As negociações com vista à adesão da Ucrânia à União Europeia são uma das principais prioridades de Kiev.

A mensagem foi frisada pelo presidente ucraniano, que participou esta terça-feira na reunião do Colégio de Comissários Europeus, dirigida pela chefe do executivo de Bruxelas, Ursula von der Leyen.

Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia:"Passo a passo, estamos a avançar para um marco histórico nas nossas relações com a Europa estamos a trabalhar para abrir as negociações de adesão da Ucrânia à UE já este ano. A motivação é também uma arma e precisa de ser recarregada. Esperamos por este poderoso impulso à motivação ucraniana: a disponibilidade da UE para iniciar negociações com a Ucrânia."

No terreno, uma das principais preocupações das forças ucranianas é a desminagem das áreas reconquistadas ao invasor russo. Na região de Kherson, Valeriy e Andriy, dois soldados que foram amputados por minas russas trabalham agora nas operações de desminagem.

Na cidade de Donetsk, controlada pela Rússia, há relatos de um ataque atribuído às forças ucranianas, que terá feito pelo menos um morto. Um ataque que teve lugar no mesmo dia em que o ministro russo da Defesa, Sergei Shoigu, visitou um posto de comando na leste da Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Civis eslovacos já doaram mais de 4 milhões de euros à Ucrânia para aquisição de munições

Controversa lei de mobilização entra em vigor na Ucrânia

Guerra na Ucrânia: dez mil pessoas obrigadas a abandonar Kharkiv