EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

EUA acusam Rússia de executar soldados que não cumpram ordens de combate

Tanque de combate em Avdiivka, na região de Donetsk, Ucrânia
Tanque de combate em Avdiivka, na região de Donetsk, Ucrânia Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Washington diz que a falta de meios e liderança no exército russo está a deixar os soldados com "o moral em baixo".

PUBLICIDADE

A Casa Branca acusa a Rússia de estar a executar soldados que não cumpram ordens superiores e a ameaçar de morte unidades inteiras caso recuem na linha de combate contra a Ucrânia.

Vinte meses após a invasão, Washington diz que a falta de meios e estratégia de Moscovo está a deixar o moral das tropas russas em baixo.

"Os militares russos parecem estar a usar aquilo a que chamamos "táticas de ondas humanas", lançando um grande número de soldados mal treinados para o combate, sem equipamento adequado, sem liderança, sem recursos e sem apoio. Não é surpreendente que as forças russas tenham o moral em baixo, tendo em conta todas estas condições", afirmou aos jornalistas o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby.

Mike Johnson dá prioridade a Israel

O novo líder da Câmara dos Representantes norte-americana,Mike Johnson, garantiu, esta quinta-feira, que Washington "não vai abandonar a Ucrânia", mas que, tendo em conta a situação no Médio Oriente, a prioridade dos EUA é dar apoio a Israel.

A passagem para segundo plano está a preocupar Kiev. Em Bruxelas, o presidente Volodymyr Zelenskyy apelou aos líderes da União Europeia a "fazer tudo para evitar que um incêndio internacional ainda maior deflagre no Médio Oriente". 

"Os inimigos da liberdade estão muito interessados em levar o mundo livre para a segunda frente [de combate]", afirmou o chefe de Estado ucraniano.

Rússia acusa Ucrânia de ataque a central nuclear

O ministério russo da Defesa alega ter impedido, esta quinta-feira, o ataque de um drone perto da central nuclear de Kursk, no sul do país.

Segundo duas agências noticiosas, uma explosão danificou a fachada de um armazém de resíduos nucleares, na região, perto da povoação de Kurchatov.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin acusa Kiev e o ocidente de responsabilidade nos distúrbios no Daguestão

Ucrânia reforça posições nas margens do rio Dnipro

Familiares de soldados ucranianos em cativeiro protestam em Kiev