Putin assinou saída do tratado que proíbe testes nucleares

Isto sucede numa altura em que se fala de estagnação das forças russas na Ucrânia
Isto sucede numa altura em que se fala de estagnação das forças russas na Ucrânia Direitos de autor Pavel Bednyakov/Sputnik
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Kremlin ressalva que isto não significa que Moscovo vá retomar já os testes nucleares, até porque a moratória ainda está em vigor

PUBLICIDADE

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou esta quinta-feira uma lei que revoga a ratificação do chamado Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares (CTBT).

A decisão já tinha sido aprovada pelas duas câmaras do parlamento russo. No entanto, o Kremlin ressalva que isto não significa que Moscovo vá retomar já os testes nucleares, até porque a moratória ainda está em vigor. Argumenta-se também com a paridade, uma vez que os Estados Unidos nunca ratificaram o acordo.

Isto sucede numa altura em que se fala de estagnação das forças russas na Ucrânia, embora tenha havido ataques recentes. O Kremlin, através do porta-voz Dmitri Peskov, rejeita liminarmente que haja um impasse no conflito ucraniano e anuncia que os objetivos militares estão a ser atingidos.

O tratado foi adotado pela assembleia-geral da ONU em 1996. Foi assinado por 185 países, incluindo a Rússia, que se juntou em 2000. No entanto, há nove países que nunca o ratificaram para além dos Estados Unidos, entre os quais China, Irão e Israel.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vldimir Putin foi a Sevmash inaugurar novos submarinos nucleares

Rússia proíbe atividade da Rádio Europa Livre/Rádio Liberdade

Avdiivka, cidade fantasma na região de Donetsk