A companhia aérea Emirates vai expandir a sua rede com centenas de novos aviões

A companhia aérea Emirates  vai expandir a sua rede com centenas de novos aviões
Direitos de autor euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente da Emirates, Sir Tim Clark, conversa com a Euronews sobre o futuro da indústria da aviação após a pandemia.

PUBLICIDADE

A companhia aérea Emirates começou a semana no Dubai Airshow com o anúncio de que está a aumentar a sua frota com uma encomenda de 47 mil milhões € de 90 aviões Boeing 777X.

Em declarações à Euronews, o Presidente da Emirates, Sir Tim Clark, afirmou: "Assim, temos atualmente um total de 245 aviões Boeing encomendados, e 50 A350 começarão a ser entregues no próximo ano. Trata-se de uma parte integrante da expansão da nossa rede nos próximos 10 a 15 anos." Depois de alguns anos cautelosos após COVID, Clark afirma que "a procura continua a ser muito forte" para a indústria da aviação e que "o Médio Oriente é agora realmente potente em termos de atividade económica, muito investimento interno, muita geração de riqueza na Arábia Saudita, claro, e nos Estados vizinhos."

A ambição dos objetivos de sustentabilidade da indústria é atingir zero emissões até 2050. Relativamente ao compromisso da Emirates para com a redução das emissões, afirmou: "Estabelecemos uma tarefa para nós próprios. Estamos a fazer uma viagem. Agora, desde que façamos o que está certo e nos esforcemos o mais possível, no final, esse objetivo é uma data que pode avançar ou recuar, mas [vamos] começar a avançar nessa direção."

"Estamos muito longe de ter aviões que voem com combustível de zero emissões", acrescentou. Podemos introduzir os SAF (CSA). Podemos fazer todo o tipo de negócios, o que estamos a fazer."

Olhando para os desafios que as companhias aéreas enfrentam nos próximos anos, diz que o maior desafio da Emirates é a sua incapacidade de se expandir ao ritmo que gostaria. E o seu conselho para o futuro: Este sector veio para ficar. Faça o que está certo, concentre-se e entre no ponto ideal do produto. Mantenha-se concentrado em fazer o que pensa que vai proporcionar e acrescentar valor aos acionistas e também a si próprio."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin visita Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, países que não têm obrigação de detê-lo

Presidente da COP28 e CEO de petrolífera de Abu Dhabi joga à defesa

Greve na Lufthansa afeta 100 mil passageiros