Jogos Olímpicos de Paris: segurança em causa

A polícia forense trabalha no local de um esfaqueamento em Paris, a 2 de dezembro de 2023.
A polícia forense trabalha no local de um esfaqueamento em Paris, a 2 de dezembro de 2023. Direitos de autor AFP
De  Ilaria Federico
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em francês

Na sequência do atentado no 15.º bairro de Paris, que causou um morto e dois feridos, voltou a colocar-se uma questão crucial: a segurança.

PUBLICIDADE

Paris vai acolher os Jogos Olímpicos de 2024, um evento de dimensão mundial. No entanto, subsistem preocupações quanto à capacidade de França para garantir a segurança, especialmente tendo em conta o seu historial de ataques terroristas.

A Euronews contactou a Prefeitura de Paris para obter informações.

A Prefeitura disse-nos que entre 30.000 e 45.000 polícias, gendarmes e soldados serão destacados para garantir a segurança durante os Jogos. Os espetadores serão submetidos a controlos e revistas, nomeadamente durante a cerimónia de abertura.

Apesar destas medidas, a Prefeitura sublinha que a ameaça terrorista continua a ser muito elevada.

O dispositivo de segurança para a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, prevista para o rio Sena, suscita grandes questões. O desfile das delegações estrangeiras entre as pontes Austerlitz e Iéna para a inauguração dos Jogos, perante os chefes de Estado reunidos perto do Trocadéro e centenas de milhares de espetadores, representa um desafio colossal em matéria de segurança.

Já no final de outubro, o antigo Ministro dos Desportos, David Douillet, tinha manifestado as suas reservas: "Se os indicadores de risco de atentado atingirem o seu máximo na véspera, teremos de considerar um "plano B" para a cerimónia de abertura". No entanto, as autoridades excluíram qualquer deslocalização, sublinhando as medidas de segurança que serão implementadas.

Procurámos saber a opinião dos habitantes da capital para compreender a sua perspetiva sobre a situação.

As opiniões dividem-se. Enquanto alguns manifestaram confiança nas medidas de segurança, outros sublinharam um sentimento de exclusão nos preparativos e preocupações sobre o impacto dos Jogos na vida quotidiana. No período que antecede o evento, o equilíbrio entre a segurança e o conforto do público continua a ser uma preocupação fundamental.

"Acredito que as autoridades responsáveis pela segurança estão a fazer o trabalho necessário para evitar quaisquer incidentes. E tenho confiança nelas, embora seja uma tarefa muito difícil e complicada, especialmente por causa da Cerimónia de Abertura, que acredito que será no rio pela primeira vez no mundo", comenta Isabelle.

"É provável que os Jogos Olímpicos sejam um alvo, mas penso que serão tomadas todas as precauções. Os principais riscos serão os pequenos crimes, como os carteiristas", reage Florent.

Alguns parisienses denunciam a exclusão dos processos de decisão e da organização dos Jogos Olímpicos.

"O meu sentimento não é de insegurança. O meu sentimento é de não me sentir incluída nestes preparativos. Nunca me pediram a opinião sobre o trânsito, o fecho de vias, os cortes para os peões, etc.", indigna-se uma cidadã de origem russa que vive na capital há mais de dez anos. "Tenho amigos que tencionam deixar Paris, mas não compreendo este tipo de relação. Os Jogos Olímpicos não têm a ver com o facto de nós, cidadãos de Paris, perdermos a nossa cidade", acrescenta.

"Temos de tentar racionalizar um pouco o que se está a passar e deixar a ilusão de que há falta de segurança, que não existe e não é confirmada pelos factos", exclama outro residente. "Por outro lado, o que teria sido bom era ter tido uns Jogos Olímpicos populares e não apenas para os ricos. Isso teria sido bom para Paris. Porque aqui, obviamente, estamos a falar de Jogos Olímpicos para os ricos".

Os residentes que entrevistámos parecem concordar num ponto: haverá muito poucos parisienses na capital durante os Jogos Olímpicos.

"Durante os Jogos Olímpicos, haverá mais segurança do que na vida quotidiana . Penso que as coisas serão muito melhores e não creio que haja muitos parisienses em Paris durante os Jogos Olímpicos. Por isso, será uma população diferente, serão turistas que ficarão felizes por lá estar", explica Virginie.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Paris: Três feridos após ataque com faca em estação de comboio

UE tem "enorme risco" de ataques terroristas, alerta comissária Johansson

Roubados planos de segurança dos Jogos Olímpicos de Paris