Atirador de Praga suicidou-se depois do massacre, confirma polícia

Um memorial foi colocado junto da entrada da Universidade Carolina de Praga
Um memorial foi colocado junto da entrada da Universidade Carolina de Praga Direitos de autor Petr David Josek/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Jovem estudante de 24 anos é o autor do massacre na Universidade Carolina de Praga. Ter-se-á inspirado noutros tiroteios semelhantes e, segundo o governo checo, não há suspeitas de se tratar de um ataque terrorista.

PUBLICIDADE

Um estudante da Universidade Carolina de Praga matou esta quinta-feira 13 pessoas e feriu outras 25 num tiroteio na própria universidade, no centro da capital checa. Ter-se-á depois suicidado, segundo anunciou a polícia checa esta sexta-feira.

O ministro do Interior da ChéquiaVit Rakusan, anunciou uma revisão em baixa relativamente aos números que tinham sido divulgados: o número total de mortos é de 14, contando com as 13 vítimas mortais e com o próprio atirador. O ministro também garantiu que não foi estabelecida qualquer ligação do crime ao terrorismo internacional.

O chefe da polícia, Martin Vondrášek, admitiu em conferência de imprensa que o balanço do número de vítimas pode ainda alterar-se, uma vez que 10 feridos estão em estado grave, e sublinhou que se tratou de um "ataque violento premeditado", aparentemente inspirado noutros ataques semelhantes que já aconteceram em escolas noutros países do mundo. 

As autoridades não divulgaram publicamente o nome do atirador. Segundo a BBC, trata-se de David K, um jovem de 24 anos que vivia na aldeia de Hostoun, a cerca de 20 quilómetros de Praga. Antes de sair de casa para iniciar o massacre na universidade, matou o pai, informou a polícia. O corpo do progenitor foi encontrado ao início da tarde.

O estudante frequentava a universidade de Belas-Artes, segundo informações recolhidas pelas agências internacionais, e deveria participar esta quinta-feira numa conferência de imprensa na universidade, pelas 14:00, hora local. Era o proprietário legal de várias armas. 

O alerta para o tiroteio foi dado pouco depois das 15:00, hora local - menos uma hora em Lisboa. As autoridades anunciaram que estavam a responder a um tiroteio na Praça Jan Palach, no centro de Praga, tendo informado cerca de uma hora depois que o atirador tinha sido "eliminado" e o edifício da universidade evacuado. Cerca de 200 pessoas foram retiradas do local.

A polícia estabeleceu um perímetro de segurança na área em torno da universidade: naquela praça do centro de Praga ficam as faculdades de Filosofia e Belas-Artes da Universidade Carolina de Praga.

A imprensa local adianta que foi ouvida uma explosão antes de o atirador ter aberto fogo a partir do telhado do edifício da universidade. Ao início da noite de quinta-feira, o autarca de Praga revelou que a polícia continuava a patrulhar a área, ainda que se acredite que não existe perigo para os residentes. "Pelo que sei, eles eliminaram o atirador no edifício e ele depois saltou para algum lado e morreu", disse Bohuslav Svoboda aos jornalistas.

O primeiro-ministro checo, Petr Fiala, cancelou uma viagem ao leste do país e regressou à capital devido aos "trágicos eventos na faculdade", revelou no Twitter.

Ao início da noite de quinta-feira, agradeceu as condolências e o apoio ao povo checo que foram manifestados após "o tiroteio na Faculdade de Belas-Artes".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Autor do massacre em universidade de Praga confessou homicídio de homem e bebé

Acordo entre Chéquia e Polónia permite manutenção de "mina da discóridia"

Anders Breivik perde processo contra Estado norueguês e continuará em confinamento solitário